Buscar
  • Da redação

Dise e DIG prendem traficantes com R$ 10 mil e cocaína pura "made in Cochabamba"


Drogas encontradas pelos policiais e cocaína com embalagem "made in Cochabamba"

Na manhã desta terça-feira (26) , em operação conjunta, policiais da Dise e da DIG prenderam os irmãos Anderson dos Santos Ramos, de 26 anos e Maycon dos Santos Ramos, de 23 anos, em flagrante delito pela prática de tráfico de drogas e associação para o tráfico, crimes descritos nos artigos 33 e 35, da Lei n. 11.343/06, fato ocorrido na favela do Bairro Tóffoli, aos fundos da Rua Francisca de Oliveira, altura do numeral 369, entrada pela viela, Zona Sul de Marília.

Consta que policiais civis da DIG colheram informações durante investigações, dando conta que os autuados estavam comandando o tráfico no local, sendo que ambos guardavam a droga aos fundos da casa de “Ceará”, num terreno sem divisórias.

A mando dos dois indivíduos, irmãos consanguíneos, a droga era retirada e colocado a venda na referida via, sendo que os autuados, constantemente era vistos no local, com motos de grande porte em situação de hierarquia, comandando seus subordinados. Inclusive, os dois indivíduos também já eram conhecidos desta Especializada pelo envolvimento no tráfico de drogas, sendo certo que de fato, comandavam o tráfico na favela do Tóffoli e guardavam a droga por eles comercializadas aos fundos da favela.

Nesta manhã, uma operação policial foi montada com policiais da DISE e DIG, visando desarticular esta organização criminosa, sendo que buscas (mandados expedidos pela 3ª Vara Criminal de Marília) foram realizadas na casa dos autuados.

Policiais da DIG e da DISE em operação conjunta na manhã de hoje

Na residência de Anderson foi localizada a quantia em dinheiro no valor de R$10.298,00, divididos em dois pacotes. Na residência de Maycon, situada na rua Thomé de Souza, Jardim Monte Castelo, nada de ilícito foi localizado. No entanto, em varredura efetuada no terreno, nas proximidades da casa do tal “CEARÁ”, que lá não se encontrava, os policiais civis localizaram um buraco, embaixo de uns pedaços de madeira, sendo que dentro de uma sacola acabaram por localizar dois tijolos e pedaço de maconha e um outro pedaço menor de maconha; meio tijolo de cocaína e um tijolinho de “crack”, parcialmente fragmentado; além de dois sacos contendo centenas de pinos plásticos vazios. Ressalta-se também, que a cocaína possuía embalagem com o logotipo “made in Cochabamba”, de alto teor de pureza. O dinheiro apreendido, dividido em cédulas diversas, cuja procedência Anderson não soube declinar, nem sequer sabendo a soma exata, demonstra que seria proveniente da venda de drogas, ressaltando-se que os autuados não possuem ocupação licita.


7 visualizações0 comentário