Buscar
  • Da redação

Comoção e desmaios da mãe no enterro da menina Isabelle. Polícia investiga morte suspeita. Padrasto


A garotinha Isabelle foi sepultada na manhã de hoje. Polícia investiga morte suspeita

Sob clima de forte comoção, tristeza e revolta, foi sepultado na manhã desta sexta-feira (29) no Cemitério da Saudade em Marília, o corpo da menina Isabelle Fernandes dos Santos, de 2 anos, morta em circunstâncias que estão sendo apuradas em inquérito aberto pela Polícia Civil, através da Delegacia de Defesa da Mulher.

A mãe da garota, Sara Milena Fernandes, desmaiou várias vezes no velório. Ela comentou com uma amiga que Deus levou sua filha, mas a doação de órgãos feitos por ela salvou a vida de outras três crianças. Sara estaria grávida do padrasto da criança. Foi ele quem encaminhou a garotinha ao hospital.

O CASO

Isabelle, segundo relatos do padrasto que a levou ao Hospital Materno-Infantil na tarde do último dia 23 (sábado), teria caído da cama no apartamento onde morava, no no Conjunto de Apartamentos da CDHU, na Zona Sul de Marília. Afirmou que ela havia tomado remédios para vômito, passou mal e caiu da cama. Ele não compareceu ao velório da menina.

Isabelle sofreu graves lesões, inclusive na cabeça, ferimentos no braço e chegou a perder a visão. Profissionais do hospital relataram que as lesões apresentadas pela criança são incompatíveis com a queda relatada pelo padrasto. A menina morreu na tarde desta quarta-feira (27).

INDÍCIOS DE MAUS TRATOS

Rose de Oliveira, do Conselho Tutelar de Marília, disse em entrevista ao repórter Glauko Rufino, da Rádio 950, quo o órgão foi acionado pelo Hospital Materno-Infantil com a informação que uma criança de 2 anos e 3 meses teria dado entrada no local sobre medicação que teria ingerido, mas com indícios que havia maus-tratos.

"Fomos até lá,a criança já estava sendo atendida e conversamos com a família. Levamos o caso até a Policia para ser apurado. A princípio, a mãe relatou que a criança tinha tomado a medicação, se sentiu mal, levantou da cama e cai", disse.

A conselheira afirmou que "infelizmente, uma criança de 2 anos e 3 meses que estudava na Emei Raio de Sol, uma criança alegre, feliz, uma família muito bonita. A gente fica assim, triste com essa situação, porque mais uma criança por suspeitas de maus-tratos. Ficamos tristes por estarmos perdendo mais uma criança da nossa cidade", disse. A conselheira afirmou que o órgão nunca recebeu denúncias relacionadas à família de Isabelle.

-


45 visualizações0 comentário