Buscar
  • Da redação

RADAR DO JP: vice Tato isolado. Daniel entrega a agenda. Camarinha ataca aumentos de planos de saúde


O ISOLAMENTO DO VICE, TATOI

O JP repercutiu nesta quinta-feira (16) a entrevista do vice-prefeito Tato, ao "Pronto de Vista", do Canal 9, onde ele comentou seu isolamento no atual governo."Eu não sei o que acontece dentro da Prefeitura", afirmou Tato, ressaltando que "participa" do Daem e da Codemar.

"São coisas que eu não sei. Por exemplo: abriram o Terminal, eu não sei, cheguei lá me perguntaram porque abriram o Terminal. Eu disse: não sei, fui perguntar para um, para outro, mas ninguém me dá informação. Me dá nojo entrar lá, banheiros sujos, assalto". O repórter Andorinha, da nacada do programa, disse que estava achando Tao, conhecido por seu temperamento forte, "muito calmo. Não dá um muro na mesa e diz: eu sou o vice-prefeito", sugeriu Andorinha. Tato deu a entender que já fez isso, mas não adiantou nada. "Se não liga pra mim e não manda recado, não precisa de mim", falou ele, sobre seu relacionamento com o prefeito Daniel Alonso (PSDB).

O ISOLAMENTO DO VICE, TATO II

Após a publicação da matéria, o prefeito Daniel Alonso enviou mensagens via Whatsapp ao JP , dizendo que "a sala do Tato fica no prédio da Prefeitura, a poucos metros da minha". E completou: "enviamos a minha agenda para a secretária dele, diariamente". EM TEMPO: embora o vice-prefeito ainda não assuma publicamente seu rompimento político com o prefeito, todo mundo já viu que isso é uma realidade. Tato não dá as caras em eventos oficiais na Prefeitura nem fora dela há muito tempo. Não compareceu, nesta sexta-feira (17), por exemplo, na reunião de secretários na Prefeitura. Todas as sextas acontecem essas reuniões, mas ele nunca participa. Resumindo: tá mais por fora que quarto de empregada e cotovelo de caminhoneiro. O salário do vice-prefeito é de cerca de R$ 11 mil mensais, mais benefícios.

PROCURANDO O PROCURADOR

O vereador Marcos Rezende (PSD) deu uma pegada no procurador jurídico da Câmara de Marília, advogado Daniel Fernando Bueno "Não tenho visto ele durante todo o tempo nas sessões camarárias", disse Rezende, cobrando determinação nesse sentido da presidência da Casa. EM TEMPO: a Câmara tem dolis procuradores. Além de Daniel Fernando, a advogada Fernanda Gouvêa Medrado Baghim exerce a função.

IRONIA DO VEREADOR NARDI

"Eu não consigo votar contra o prefeito aqui na Câmara. Os projetos que ele manda para cá são tão ruins, tão mal-feitos, que eles retiram antes das votações". Comentário irônico do vereador Luiz Eduardo Nardi (PR), na sessão camarária passada.

DEPUTADO CAMARINHA CRITICA AUMENTOS DOS PLANOS DE SAÚDE DOS SERVIDORES

O deputado estadual Abelardo Camarinha esteve ao vivo nesta quinta-feira no "Jornal da 950", que tem como âncora o comunicador José Henrique.O parlamentar desceu o pau na questão dos aumentos de preços nos planos de saúde dos servidores municipais e colocou sua equipe de advogados á disposição da categoria para questionamentos na Justiça. "Os servidores e seus familiares não podem ficar sem assistência à saúde. É um direito adquirido deles e não podemos admitir que aconteça um roubo sobre os salários dos servidores ativos e também dos inativos, esses últimos os que mais necessitam do plano de saúde. Essa questão deve ir para a Justiça", disse Camarinha.

AUMENTO DE IPTU?

Camarinha também disse que está sendo preparado na Prefeitura um decreto lei para aumentar os valores do IPTU de cerca de 12 mil imóveis em Marília. Será, segundo ele, uma atualização da Planta Genérica do Município, que capta ampliações de imóveis e recalcula os valores do imposto. "Atenção, população! Que construiu um quartinho nos fundos da casa para uma viúva, um viúvo ou a filha que se casou, vai ter aumento do IPTU. Aqueles puxadinhos que o Camarinha autorizou nos bairros da população de baixa renda, agora, vão ser usados pela Prefeitura para aumentar o IPTU", disse o deputado.

PADRE EDSON SERÁ TRANSFERIDO DE MARÍLIA EM ANO ELEITORAL

O padre Edson, da Sagrada Família, será transferido para outra cidade, em janeiro próximo. A decisão é da Diocese de Marília. Outros padres também serão deslocados para outros municípios, ainda não revelados. EM TEMPO: o padre Edson foi condenado pela justiça criminal em agosto passado, em processo por ofensas ao ex-prefeito Vinícius Camarinha. O caso está em grau de recurso no T.J. O padre foi condenado a oito meses de detenção. A pena foi convertida em prestação de serviços à comunidade pelo mesmo período. A transferência do religioso ocorrerá justamente em ano eleitoral.

PROFISSÃO, VEREADORA

A vereadora professora Daniela D'Ávila (PR) registrou um Boletim de Ocorrência na CPJ, sobre o fato de vândalos terem riscado o carro dela e do marido, esta semana. Foi a segunda vez este ano. Relatou que os ataques foram em função de "algum tipo de recado diante de sua postura como vereadora". EM TEMPO: na lavratura do B.O, consta: Profissão: vereadora.

Ocorre que vereador não é profissão. O especialista em gestão pública, advogado Luiz Antonio Barbosa, explica que "o exercício do mandato de vereador (ou de qualquer outra função de natureza política) decorrente da vontade popular expressada pelo voto, nunca foi profissão. Tecnicamente, os vereadores, estão investidos numa função pública e assumem um encargo".

O BURACO É MAIS EMBAIXO

O vice-prefeito Antonio Ambrósio, o Tato, promete para a semana que vem a revelação de um "grande dossiê" sobre o rombo encontrado pela atual gestão na Codemar. Valores do rombo passariam de R$ 27 milhões. Levantamentos nesse sentido foram feitos pelo ex-diretor da Companhia, Renê Fadel, demitido pelo prefeito Daniel Alonso no início de agosto.

MAMATA CRESCENDO: VEREADOR DEFENDE AUMENTO DE VEREADORES NA CÂMARA

O vereador Luiz Queiroz (PSDB), ficou bravo com críticas publicadas na mídia sobre eventual aumento do número de vereadores na Câmara de Marília, para a próxima legislatura. Ele disse na sessão passada que, se perguntarem para a população sobre o assunto, a opinião é que os vereadores não fazem nada. "O resultado sobre o número de vereadores será 3,2,1...fecha a Câmara". Queiroz defende aumentar o número de vereadores em Marília de 13 para 17 ou 17. "É legítimo defender 21", acrescentou.


6 visualizações0 comentário