Buscar
  • Da redação

Polícia investiga suspeita de estupro em paciente morta no Hospital Espírita de Marília


A paciente Priscila, de 35 anos, morreu no HEM: suspeita de estupro no Hospital (Foto: Hora H Notícias)

Uma paciente de 35 anos, que estava internada no Hospital Espírita de Marília, morreu no último sábado (25). Priscila Lopes Liberato, que era epilética e deficiente mental, ligou dias antes para a mãe dela e falou que estava grávida. "Coisa de criança", comentou a mãe, em entrevista ao Hora H Notícias.

No mesmo dia, segundo a mãe da vítima, uma assistente social também ligou para mãe da vítima, informando que ela estava numa investigação por suposto estupro no Hospital e precisava de alguém da família no Hospital.

A mãe da paciente disse que ela chegou a tomar coquetel antiaids. O atestado de óbito aponta insuficiência respiratória, depois de passar pela UPA da Zona Norte e pelo Hospital Materno Infantil, onde fez exames ginecológicos. "Ela era virgem e existem exames de corpo de delito na DDM que comprovam isso", afirmou a mãe.

O advogado da mãe da vítima, Carlos Credendio, disse que "é uma suspeita grave de estupro cometido por alguém dentro do hospital". Médicos e outras pessoas do HEM serão ouvidos pelo Ministério Público Estadual, que apura o caso.

A direção do Hospital enviou nota ao Hora H Notícias informando que não irá se manifestar "por uma questão de ética e segurança dos pacientes".


17 visualizações0 comentário