Buscar
  • Da redação

Após polêmica, Monte Azul volta a fazer pesagem do transbordo do lixo na antiga Coopemar


Caminhão da Monte Azul adentra o prédio da antiga Coopemar, onde voltaram a ser feitas as pesagens do lixo

A empresa Monte Azul voltou a fazer a pesagem do lixo transbordado de Marília no prédio da antiga Cooperativa dos Cafeicultores de Marília, na Zona Oeste da cidade.

A pesagem vinha sendo feita somente no local onde os caminhões descarregavam o lixo, nos aterros de Piratininga (a 102 quilômetros de Marília) ou Quatá (99,9 quilômetros de Marília). Esse fato gerou uma grande polêmica na Câmara Municipal, com vereadores cobrando fiscalização nesse sentido, principalmente o vereador Luiz Eduardo Nardi (PR). O destino do transbordo fica a cargo da empresa contratada.

"A volta da pesagem na Cooperativa é uma opção de logística da empresa", disse ao JP o secretário municipal de Serviços Urbanos, Vanderley Dolce.

Vanderlei Dolce, secretário municipal de Serviços Urbanos

R$ 18 MILHÕES POR ANO

A Monte Azul, com sede em Araçatuba, também tem contrato com a Prefeitura para a coleta de lixo e recolhe cerca de 220 toneladas por dia. O montante é transbordado ao custo de cerca de R$ 11,5 milhões por ano.

Com os serviços de coleta de lixo, poda de árvores, limpeza de boca de lobo, operação dos ecopontos, limpeza urbana e capinação, a Prefeitura chega a gastar cerca de R$ 18 milhões por ano com a referida empresa.


1 visualização0 comentário