Buscar
  • Eficaz Comunicação

CAUSA SOCIAL: “Vim para conhecer e me encantei", diz médico ortopedista que integra a Clínica A


O médico ortopedista João Carlos Duarte Ferreira, um dos mais conceituados profissionais da área médica de Marília e região, faz parte do corpo clínico do Centro Médico Aconchego, mantido pelo Hospital Espírita de Marília (Hem), sendo considerada a nova opção de atendimento ambulatorial e laboratorial para a região centro oeste paulista, com salas para exames de radiografia, ultrassom, laboratório de análise clínicas e um centro cirúrgico para tratamento de casos de pequena e média complexidades. “Vim para conhecer e me encantei com o projeto e me coloquei a disposição”, disse o médico especialista que deste o começo do ano faz atendimento semanal no Centro Médico Aconchego. Segundo João Carlos Duarte Ferreira a causa e os princípios do centro médico lhe atraíram. “A ideia da clínica popular, de preços mais acessíveis e a dificuldade com que a diretoria do Hem trabalha, me sensibilizaram e eu quis fazer parte deste projeto”, comentou o experiente profissional que se divide entre atendimento médicos na Santa Casa e no Hospital das Clínicas de Marília, além do consultório particular. “Toda quinta-feira me dedico ao Centro Médico Aconchego”, avisou ao lembrar que na terça-feira, o colega médico Rodrigo Antoniasi, faz o atendimento na área da ortopedia, integrando, também, a equipe médica mariliense. “O local é privilegiado e com o tempo isso tudo será uma referência para o Estado de São Paulo”, acredita o médico ortopedista. Dentre as especializações como: urologia, pediatria, vascular, cardiologia, clínico geral, geriatria, psiquiatria, fisioterapia, gastro enterologia, cirurgia plástica, dermatologia, entre outras, a ortopedia, de acordo com o médico especialista João Carlos Duarte Ferreira, é bastante peculiar exigindo uma maior estrutura, dependendo do caso. “Mas as cirurgias de tendão e partes moles, por exemplo, o Centro Médico Aconchego consegue realizar com excelente qualidade”, garante o profissional ao lembrar que o centro médico não é um Pronto Socorro. “Somos um centro médico com ambulatório, de acordo com o atendimento com hora marcada”, explicou ao lembrar que mesmo assim, já foram realizadas cirurgias de pequenas complexidades sem a necessidade de internação numa UTI. Completando 40 anos de formado, pela turma de 1978 da Faculdade de Medicina de Marília (Famema) este médico ortopedista com 65 anos de idade se considera feliz ao fazer parte do corpo clínico do Centro Médico Aconchego. “Este empreendimento na área da saúde tem um futuro promissor”, prevê. “A diretoria da mantenedora sempre aparece com boas novidades, estando sempre de portas abertas com um carinho humano muito grande que me encantou desde o primeiro dia”, falou ao acreditar para no futuro as instalações de equipamentos de tomografia e ressonância que ajudariam muito no atendimento na área da ortopedia. “Vamos crescer de forma consciente e de acordo com a demanda”, falou ao compreender se tratar do início de um longo trabalho nos segmentos de ortopedia e traumatologia em geral.


81 visualizações0 comentário