Buscar
  • Da redação

MP investiga denúncias de fraude em licitação e superfaturamento na Câmara de Marília. Damasceno ass


Licitação assinada pelo presidente da Câmara de Marília, Wilson Damasceno (PSDB), já é alvo de investigação pelo Ministério Público Estadual. O inquérito aberto pelo promotor Oriel da Rocha Queiroz investiga contratação da empresa OpenLegis Informática Ltda-EPP, que teria como finalidade a manutenção no site do Legislativo.

A empresa recebeu R$ 150 mil para conversão e implantação do sistema, além de mais R$ 5 mil por mês, apenas para manutenção e suporte do site.

A representação feita no Ministério Público cita que em Assis, a mesma empresa realizou "serviço idêntico”, pelo valor de R$ 49,5 mil e mais R$ 1.770 por mês.

Aponta ainda que a licitação na Câmara de Marília, aberta em setembro do ano passado, também teria sido preparada por uma “pessoa estranha ao quadro de servidores da Edilidade, o que representaria suposta fraude ao processo licitatório”.

O contrato dos serviços que estão sendo investigados pelo Ministério Público foi assinado por Damasceno em outubro do ano passado.

Damasceno se manifestou sobre a postagem do JP em grupos do Whatsapp, dizendo o seguinte: "Oportunidade que o representante Vinicius Camarinha me dá para reafirmar á população e ao Ministério Publico, quanto a minha correção e coerência no trato com o dinheiro público. Ao assumir o cargo havia gastos na ordem de mais de $200.000,00/ano na locação de softwer. A partir da implantação do Softwer próprio será custo apenas com os funcionários efetivos. O Senhor Representante Vinicius Camarinha omitiu na representação valores de aditivos em Assis que superam $200.000,00. Sem contar que em Assis o objeto do contrato nada tem a ver com Marília".

O espaço no JP está aberto para manifestações das partes.


61 visualizações0 comentário