Buscar
  • JCNET BAURU - MARCELE TONELLI

Região: idosa de 72 anos vive terror nas mãos de bandidos, percorre bancos fazendo saques e perde R$


Ainda abalada, uma aposentada de 72 anos conta ter passado por momentos de terror na última segunda-feira (23), em Bauru. Ela, que foi abordada por dois homens no cruzamento da avenida Duque de Caxias com a rua Vinte e Nove de Outubro, na Vila Cardia, narra ter ficado cerca de quatro horas na mira dos bandidos e perambulando por bancos da cidade para saques. Além das lembranças assustadoras, o prejuízo totalizou R$ 43 mil.

As identidades da vítima e também dos demais familiares serão preservadas por questões de segurança.

A aposentada conta que recebeu uma ligação em que uma pessoa se identificou como de seu banco e pediu a ela que fosse até a agência naquele dia para trocar seu cartão. Por volta das 11h e a cerca de uma quadra do banco, contudo, ela foi abordado por dois homens, que a colocaram no interior de um Ford/Focus cinza, com placas do Paraná (que ela anotou após ser liberada).

No carro, os dois homens pegaram cerca de R$ 3 mil que ela levava na bolsa e, por meio do celular da vítima, iniciaram uma transação em uma casa de câmbio. "Ele fingia sera meu filho e me obrigava a passar todos os dados para que a transação acontecesse, me ameaçando com a faca", detalha a aposentada.

Na sequência, partiram para um supermercado para tentar saques em um caixa eletrônico, mas não conseguiram o intento. Partiram, então, para e três agências do mesmo banco em endereços distintos, locais onde a vítima efetuou saques sequenciais (dois na ordem de R$ 5 mil e um de R$ 4 mil), além de uma Transferência Eletrônica Disponível (TED) no valor de R$ 25 mil para uma casa de câmbio na cidade.

"Em nenhum momento desconfiaram dos saques de altos valores que ela fez, inclusive na boca do caixa. E o bandido passou pelas seguranças das portas giratórias com a bolsinha com a faca sem sequer ser revistado nos três bancos", reclama a filha da vítima, uma fisioterapeuta de 37 anos.

'APAVORADA'

"Quando eu tentava reagir ou falar alguma coisa para o caixa, o bandido me cutucava e dizia: 'mãe, eu tô aqui, viu'. Eu estava apavorada", lembra a aposentada.

Após os saques, eles teriam seguido, então, para a última parada: uma casa de câmbio. "Ele andou abraçado com ela, dizendo pra não fazer nada ou iria matá -la. E a atendente da loja entregou os dólares mesmo com ela nervosa", afirma a filha.

A senhora teria sido abandonada, por volta das 15h, fora do estabelecimento. "Eles até me deram R$ 10,00 para comer um salgado porque eu vomitei no carro de nervoso, tenho pressão alta. E saíram debochando, dizendo que jogariam na loteria com meu dinheiro. Era minha única economia, do fundo de garantia", lamenta a mulher, mostrando todos os comprovantes dos saques.

Na Central de Polícia Judiciária (CPJ), o caso foi registrado como estelionato porque, segundo a família, a idosa teria procurado o local sozinha, logo após ser liberada, e, em virtude de seu estado de choque, teria contado de forma confusa o fato, o que ocasionou um suposto engano no registro.

"Mas ela se lembrou aos poucos e nos contou tudo. Estamos todos assustados e com medo, porque achamos que os bandidos sabiam detalhes, como o banco em que ela tinha conta, o número de celular dela e endereço da nossa casa", observa a filha.

O caso é investigado pela Polícia Civil de Bauru.


1 visualização0 comentário