Buscar
  • Da redação

Vereador Coraíni ofende pedinte na porta de banco: "você tem que comer grama, mesmo, seo vagabu


O vereador Mário Coraíni (PTB) criou uma situação constrangedora ao passar por um morador de rua com enfermidade nos pés, que pedia esmolas às pessoas na porta de uma agência bancária, na área central da cidade.

No momento em que deixava a agência, o pedinte comentou a passagem dele. O edil voltou e bradou: "vá insultar tua mãe, viu, vá chamar sua mãe que criou um vagabundo que nem você...a vá pastar sô".

Coraíni alegou que havia sido ofendido por não ter dado esmola. O pedinte disse: "vocês só lembram da gente quando te eleição". O vereador retornou e reagiu: "que eleição coisa nenhuma...não vivo de política seo vagabundo...Vai pastar, você tem que comer grama mesmo, seo vagabundo".

O pedinte continuou comentando o fato, indignado com a situação. Bravo, o vereador ainda voltou e esbravejou: "você ainda está falando, seo merda, você ainda tá falando? Eu nunca precisei e nunca fui pedir voto pra você, porque quem vota em mim não é vagabundo, é uma elite, eu tenho o quinto mandato aqui na cidade?". Outras pessoas interviram e pediram para Coraíni ir embora

Detalhe do pé do homem que pedia esmolas na porta do banco

Nota da redação:

Não dar esmolas (em muitas situações, compreensível) não dá o direito de uma pessoa, especialmente um "representante do povo" ofender de forma tão acintosa o pedinte e a mãe dele, além de mandá-lo comer grama e chamá-lo de merda. Além disso, o nobre edil é de forma direta um dos que têm obrigação de trabalhar (ganha muito bem pra isso!!!) para resolver o problema da mendicância na cidade.


103 visualizações0 comentário