Buscar
  • Da redação

Empresas de ônibus urbanos ignoram população e os vereadores e nem aparecem na Audiência Pública na


Em flagrante desrespeito e afronta à Câmara Municipal e à população, representantes das empresas de ônibus Grande Marília e Sorriso de Marília, não compareceram à Audiência Pública que estava agendada para acontecer no final da tarde desta terça-feira (18), na Câmara Municipal. O ato havia sido programado atendendo pedido da vereadora Daniela D'Ávila (PR).

Em nota, os dirigentes das empresas "justificaram" que já há processos em andamento na Justiça e desqualificaram o papel da Câmara Municipal. O procurador jurídico da Prefeitura, Alysson Alex e o presidente da Emdurb, Valdeci Fogaça de Oliveira, estiveram presentes no ato.

Dezenas de pessoas que compareceram às galerias para acompanhar a Audiência Pública acabaram decepcionadas com a repugnante atitude das empresas de ônibus. A maioria dos presentes era formada por representantes de bairros e populares, usuários dos péssimos serviços prestados pelas duas empresas que "dividem" o monopólio do transporte público aqui na cidade, fazem e desfazem o que querem, retirando e alterando itinerários e atrasando percursos.

Para piorar a situação, sob a conivência da Prefeitura, abriram o Terminal Urbano e acabaram com parte do passe-integrado, prejudicando milhares de usuários dos maus-serviços. A retirada dos cobradores dos ônibus também, aumentou o relaxo e os atrasos nos percursos.

A vereadora Daniela D'Ávila disse que será feita uma nova convocação para Audiência Pública com as empresas, que deverá ser agendada para o dia 10 de outubro. Caso não compareçam novamente, os dirigentes das empresas-concessionárias públicas poderão ser enquadrados em crime de responsabilidade, conforme a legislação municipal (Artigo 86 da lei Orgânica do Município).


"Os dirigentes dessas empresas de ônibus repetiram o que eles vêm fazendo desde que assumiram os serviços em Marília: desrespeitaram a população, ignoraram os pedidos e críticas dos usuários e mostraram mais uma vez o lamentável descaso com a cidade de Marília.

Mas vamos fazer valer o papel fiscalizador e de defesa da comunidade na Câmara Municipal e eles (os representantes das empresas) serão obrigados a estar aqui na Casa no início do próximo mês, sob pena de responsabilidades, pois são concessionários públicos e têm a obrigação de prestar contas e atender a população e os poderes constituídos", disse a vereadora Daniela, ao JP. "Eu, assim como todos os que compareceram à Audiência Pública, que é um espaço democrático para debates e propostas, ficamos decepcionados e revoltados com isso. Jamais esperávamos uma postura tão deprimente e lamentável dessas empresas", completou.














38 visualizações0 comentário