Buscar
  • Da redação

STF manda prender Coxinha, acusado de incendiar veículo de um engenheiro. Crime teve conotações polí


O STF (Supremo Tribunal Federal) determinou nesta quarta-feira (21) a expedição de mandado de prisão contra o autônomo Alessandro Pereira dos Santos, o Coxinha. Ele deve cumprir pena de 4 anos e 6 meses de reclusão em regime inicial semiaberto.

O processo é de Crime Contra a Incolumidade Pública e foi aberto em julho de 2009, tramitando pela 2ª Vara Criminal do Fórum de Marília. Coxinha foi acusado de ser autor do incêndio criminoso que destruiu o carro (um Chevrolet Celta) do engenheiro Cardoso Lima. O fogo destruiu completamente o veículo na garagem da casa dele, na época, no Bairro Salgado Filho, na Zona Oeste da cidade.

O crime teve conotações políticas. Na época, o engenheiro fazia oposição e denúncias contra o então prefeito Mário Bulgareli, enquanto Coxinha "prestava serviços" para o então chefe de gabinete, Nelson Grancieri, o Nelsinho.

O acusado, ex-servidor municipal (vigia), chegou a ser preso pelo crime no curso do processo, mas foi solto e autorizado a aguardar o trânsito em julgado em liberdade. Em 2016, houve pedido da acusação para Coxinha iniciar o cumprimento da pena (com base na decisão do STF que permitiu prisão de condenados a partir da segunda instância). Mas o pedido foi negado pelo Tribunal de Justiça.

Coxinha teve condenação inicial de 5 anos e 4 meses de reclusão, mas a pena foi reduzida pelo TJ.

Em agosto passado, a 1ª Turma do STF rejeitou um Agravo Regimental e o processo tramitou em julgado.O JP tentou contato com o advogado Carlos Credendio, que atua na defesa de Coxinha, mas as ligações caíram na caixa postal.



Engenheiro Cardoso Lima junto ao veículo incendiado na garagem da casa dele, em 2009

O advogado Carlos Credendio com Coxinha (preso) no Fórum de Marília, em 2010















102 visualizações0 comentário