Buscar
  • Da redação

Ato em Marília marca homenagem à cadela morta a pauladas no Carrefour, em Osasco. Protesto lá reuniu



Grupo de manifestantes em Marília: levantando a bandeira pela proteção dos animais


Ativistas da causa animal estiveram na tarde deste sábado (8) em frente a loja do Atacadão (do grupo Carrefour) em Marília, em ato de revolta pela brutal morte de uma cachorrinha por um segurança de uma loja da Rede, em Osasco. O animal, que vivia no estacionamento da loja, foi morto a pauladas.

Vídeos com a agressão viralizaram nas redes sociais e criaram reações em todo o país, principalmente em relação à entidades e ativistas da causa animal. Os protestos sobre o episódio ocorreram em diversas cidades do Estado, no mesmo horário. Na loja em Osasco a concentração foi grande e o estabelecimento teve quer baixar as portas.


"Apesar de pouca gente, com o comércio aberto e muitas pessoas trabalhando, o nosso movimento foi bastante proveitoso. Carros que passavam pelo local buzinavam e demonstravam solidariedade à nossa iniciativa. Isso já mostra que o nosso objetivo, de levantar uma bandeira de conscientização pela proteção dos animais, sem maus-tratos a eles, já está sendo válido", disse a ativista Silvia Vicentini.

"Hoje, maltratar e abandonar animal é crime. Levantamos uma bandeira em homenagem à cadelinha Dimmy e mostrar que a morte dela não foi em vão. Queremos conscientizar as pessoas para cuidar dos animais e não maltratá-los", afirmou.

Durante o ato, organizado por Fernanda Costa, da ONG Adote, foram distribuídas rosas para pessoas que passavam pelo local.

CENTENAS DE MANIFESTANTES NO CARREFOUR, EM SÃO PAULO

Protesto na porta do Carrefour, em Osasco, na tarde este sábado


Para tentar evitar protesto marcado para a tarde deste sábado (8), o Carrefour fechou as portas de sua loja em Osasco. A manifestação pela morte da cadela Manchinha por um segurança do hipermercado tinha milhares de presenças confirmadas por meio da rede social Facebook.

Mesmo com o Carrefour de Osasco fechado, centenas de pessoas se reúnem em ato em frente ao hipermercado, na avenida dos Autonomistas, na tarde deste sábado. Uma parte dos participantes do ato se reuniu no estacionamento da loja.

Os manifestantes cobram punição aos envolvidos na morte de Manchinha e pedem que a empresa apoie entidades protetoras dos animais e o aumento das penas para quem maltrata animais, entre outras reivindicações


69 visualizações0 comentário