Buscar
  • Jcnet - Bauru

Mecânico de Marília perde R$ 20 mil em golpe de venda de veículo pela internet. Agricultor de Tupã p



Um mecânico de Marília e um agricultor de Tupã procuraram nesta quarta-feira (30) a Polícia Civil, em Bauru, porque amargaram prejuízo ao caírem no chamado ‘golpe do carro’. O primeiro perdeu R$ 20 mil; o segundo, o dobro. Os dois casos foram registrados nesta tarde.

A vítima de Marília contou que há aproximadamente duas semanas viu um anúncio de veículo em um aplicativo de comércio eletrônico e iniciou as tratativas com o anunciante por WhatsApp. Ocorre que o mesmo automóvel já havia sido oferecido para venda por outra pessoa, mas por um valor maior. Esta mesma pessoa, inclusive, chegou a ser contatada pelo golpista, que alegou interesse no veículo. A justificativa era de que este bem entraria na negociação de um apartamento.

O mecânico, então, veio a Bauru para conhecer o automóvel, consta no boletim de ocorrência. Ficou de voltar no dia seguinte para levá-lo. A transferência do veículo levou a vítima, o golpista e o proprietário do carro ao cartório, nesta quarta. Na sequência, a esposa do mecânico fez o depósito de R$ 20 mil, mas o acusado disse que só entregaria o automóvel quando o valor caísse na conta informada para que pagasse o terceiro. A partir deste momento, ele sumiu, informa a vítima.

O caso foi registrado como estelionato, assim como o do morador de Tupã. Mas nesta segunda ocorrência, o autor do delito informou à vítima que ela caíra no golpe. O agricultor contou no plantão policial que viu o anúncio de um EcoSport em um site de compra e venda de veículos e entrou em contato com o anunciante.

Ele contou ao agricultor que pegou o automóvel de um terceiro para vender em troca de um serviço. Em seguida, a vítima combinou com o anunciante de vir até Bauru. Seguiu para a cidade na companhia do mecânico.

O agricultor foi até o endereço apontado, andou como o EcoSport e telefonou para o anunciante, que disse assinar o recibo de venda assim que o depósito fosse feito. Um amigo da vítima, então, depositou R$ 40 mil na conta informada. O acusado, porém, inicialmente, alegou não ter recebido o depósito. Em um segundo contato confirmou ao agricultou que ele caíra no golpe. Os casos estão sendo investigados pela Polícia Civil.


38 visualizações0 comentário