Buscar
  • Da Assessoria

Médicos e enfermeiros são capacitados para identificar sintomas e tratar dengue


Secretaria Municipal da Saúde promove treinamento para mais de 100 profissionais, incluindo atenção básica e serviços de urgência de instituições da rede pública e privada

Mais de 100 profissionais de saúde, entre médicos e enfermeiros, participam de uma capacitação promovida pela Secretaria Municipal da Saúde de Marília, com o tema “Manejo Clínico de Dengue e outras Arboviroses”. O objetivo é ampliar ainda mais o conhecimento das equipes, para identificação e correto tratamento dos casos suspeitos.

Conforme o mais recente boletim epidemiológico divulgado pelo município, foram confirmados 14 casos de dengue este ano na cidade. A preocupação, porém, não se limita ao número de vítimas da doença, mas também a possibilidade da circulação do vírus tipo 2, já confirmado em vários municípios do Estado.

Para não comprometer o atendimento nas unidades, a Secretaria Municipal da Saúde, por meio da Coordenação de Atenção Básica e Nepem (Núcleo de Educação Permanente de Marília), os profissionais foram divididos em grupos, com quatro horas de capacitação: segunda, quarta e sexta-feira (15).

O médico Amin Ibn Chahrur, que atua no SAE (Serviço de Atendimento Especializado), abordou revisão de protocolo (Ministério da Saúde), exames, indicação/contra-indicação farmacológica e avanços no conhecimento científico acerca da relação entre os vírus e o organismo humano.

EVITANDO CRISE

De acordo com informações do secretário municipal da Saúde, Ricardo Sevilha Mustafá, a atualização é uma medida necessária, que representa compromisso com a qualidade da rede de saúde e antecede qualquer situação de crise.

“Estamos atuando na prevenção. Não queremos que aconteça com nossa cidade o que está acontecendo com outras, bem próximas. Marília já viveu uma grande epidemia e todos nós sabemos o resultado. Cada um cuidando do seu quintal, o Poder Público fazendo seu papel e, certamente, vamos evitar esse mal terrível”, disse o secretário.

REDE QUALIFICADA

Com instituições tradicionais, que habilitam profissionais de saúde, Marília é privilegiada na qualidade da assistência. É também um dos municípios com a rede básica mais ampla e estruturada do Estado de São Paulo, com cobertura à população por meio de 37 equipes da ESF (Estratégia Saúde da Família) e 12 UBSs (Unidades Básicas de Saúde).

O município, onde ocorreram quase 25 mil casos de dengue em 2015, tem expertise no manejo de arboviroses, o que salvou muitas vidas. Naquele ano, foram 35 óbitos na contagem oficial do Sinam (Sistema de Notificação de Agravo de Notificação).

Além de médicos e enfermeiros da rede básica, PA Sul, Samu e Caps, sob gestão da Prefeitura de Marília, a capacitação também envolve profissionais da UPA Norte (administrado pela Unimar), ProntoMed, PA São Francisco Saúde, Hospital das Clínicas, Santa Casa, Hospital Unimar, Proiid (parceria município/Famema) e acadêmicos de medicina e enfermagem das duas instituições da cidade.




9 visualizações0 comentário