top of page
Buscar
  • Com informações da assessoria

Servidores pressionam vereadores e querem retirada de projetos de criação de mais de 80 cargos comis


Mobilizados pelo sindicato, funcionários lotaram a galeria e depois a sala Nasib Cury, na Câmara Municipal, onde se reuniram com vereadores para apresentar pedido de retirada de projetos

que prejudicam a categoria


Cerca de 300 servidores municipais de Marília estiveram na Câmara Municipal na última segunda-feira, para exigir a retirada de projetos que podem prejudicar as negociações da Campanha Salarial 2019. O presidente do Legislativo, Marcos Santana Rezende (PSD) nomeou uma comissão formada pelos parlamentares Evandro Galete (Podemos), Cícero Carlos da Silva, o Cícero do Ceasa (PV) e o engenheiro Luiz Eduardo Nardi (PR) para receber os trabalhadores.

A sala Nasib Cury ficou lotada, sendo que os servidores cobraram uma postura dos vereadores sobre os projetos em tramitação. O presidente do Sindimmar (Sindicato dos Trabalhadores nos Serviços Públicos Municipais), José Paulino, destacou que é preciso defender os interesses dos servidores e lutar pelo reajuste salarial proposto na última assembleia, que é de 10% (8% das perdas do governo Daniel Alonso e 2% de aumento real).

A vice-presidente do Sindimmar, Bruna Marcelino, apresentou a pauta de reivindicação dos servidores que foram até a Câmara Municipal, exigindo uma postura dos parlamentares em relação aos temas. Os servidores pediram aos vereadores que não votem e não aceitem projetos que tratem da concessão e/ou privatização do Daem (Departamento de Água e Esgoto de Marília), querem a retirada do projeto que cria a Secretaria de Ciência e Tecnologia e 89 novos cargos comissionados, querem ainda a retirada do projeto que reajusta o salário do prefeito, vice e secretários em mais de 16% e, por fim, que os parlamentares se empenhem pela Campanha Salarial de 2019, cuja reivindicação é de 10% de reajuste.


Os três vereadores que formam a comissão se comprometeram em defender o debate em relação à petição dos servidores, deixando claro que “pessoalmente”, eles estavam ao lado dos trabalhadores. Os vereadores delegado Wilson Alves Damasceno (PSDB) e José Carlos Albuquerque (PRB) também marcaram presença durante o encontro. Albuquerque chegou a dizer que teria conversado com Alysson Souza e Silva, secretário de assuntos estratégicos, sobre o reajuste salarial. “O nosso secretário garantiu que o prefeito Daniel Alonso vai enviar um ofício pedindo à Câmara, ao presidente Marcos Rezende, que retire o projeto de aumento dos vencimentos, que é inoportuno no momento”, apontou Albuquerque.


Servidores querem retirada imediata dos projetos de criação de mais de 80 novos cargos comissionados na Prefeitura e do projeto de aumento de 16% nos salários do prefeito Daniel Alonso (R$ 20 mil), do vice Tato (R$ 14 mil) e dos secretários municipais (R$ 10 mil)





44 visualizações0 comentário
bottom of page