Buscar
  • Da redação

Prefeito Daniel Alonso manda servidores repor dia parado durante o estado de greve. Categoria conseg


Além de conseguirem só a metade do que reivindicavam na campanha salarial deste ano, servidores públicos municipais que aderiram à paralisação de um dia durante o estado de greve da categoria, terão que repor as horas paradas.

A determinação está em decreto assinado pelo prefeito Daniel Alonso (PSDB) e publicado na edição desta sexta-feira do Diário Oficial do Município. "A reposição do dia de trabalho deverá ocorrer, impreterivelmente, até 31 de julho de 2019", cita o decreto.

A reposição será feita por meio de horas adicionais realizadas em dias normais de trabalho, sábados, domingos, feriados, pontos facultativos e recesso escolar, de acordo com a necessidade do serviço, mediante escala de trabalho elaborada pela chefia imediata do servidor. Os servidores serão convocados por escrito para a reposição, sendo a presença obrigatória.

No dia da paralisação (10 de abril), quando os servidores lotaram o Paço Municipal e imediações, Daniel Alonso não aparaceu na Prefeitura. Ele ficou irritado com a decisão da categoria.

Com palavras de ordem e revoltados com o descaso da atual gestão, a categoria ainda realizou passeata pelo centro, com faixas, cartazes e carro de som.

Os servidores municipais, através do Sindicato da categoria, pediram 10% de aumento salarial e vale-alimentação de R$ 496. O prefeito concedeu apenas 5% de reposição e o vale-alimentação ficou em apenas R$ 360.

O prefeito também não deu satisfação sobre a implantação do Plano de Carreira dos Servidores. Um projeto nesse sentido já havia sido aprovado pela Câmara na gestão passada, mas Daniel Alonso, mancomunado com a maioria dos vereadores, em fevereiro de 2017, anulou a proposta, sob a promessa de apresentar outro Plano em 90 dias. Tudo mentira! Até hoje ele não fez nada e ainda criou novos trens da alegria com avalanche de cargos comissionados (sem concurso público) na Prefeitura.



19 visualizações0 comentário