top of page
Buscar
  • Da redação

INCOMPETÊNCIA: prefeito Daniel Alonso perde obra, verba federal de R$ 4,6 milhões e ainda desperdiça


Em mais uma lambança do prefeito Daniel Alonso (PSDB), Marília perdeu recursos de R$ 4,6 milhões que deveriam ser investidos na construção do CIE (Centro de Iniciação ao Esporte), na Zona Sul da cidade. O dinheiro viria do Governo Federal.

A explicação da Prefeitura para o prejuízo é que "houve um mal-entendido" do prefeito, que esteve no Ministério dos Esportes no ano passado, mas até a viagem foi perdida. O dinheiro deveria ter sido aplicado na obra até o final do ano passado.

Daniel Alonso ainda estava esperando pelo depósito das verbas na Caixa, mas a realidade é que já havia perdido os investimentos por incompetência. Pior: a Prefeitura gastou mais de R$ 300 mil para fazer pouco mais que os alicerces do projeto. Também perdeu esse dinheiro.

A lambança é tanta, que Daniel Alonso ainda enviou um projeto de lei há duas semanas para a Câmara Municipal, onde pretendia retirar mais de R$ 2,6 milhões das áreas já relaxadas da Saúde e da Educação para colocar neste projeto perdido.

Os vereadores deveriam ter votado essa proposta na sessão camarária de ontem (10), mas em cima da hora o prefeito retirou o projeto.

PRESSÃO POPULAR

Após pressão e revolta popular, o prefeito Daniel Alonso (PSDB) resolveu retirar da Câmara Municipal o projeto de lei onde ele pretendia retirar mais de R$ 2,6 milhões de verbas da Saúde e da Educação em Marília, além de outras áreas, como Assistência Social, para gastar mais quase R$ 6 milhões na construção de um centro de esportes na Zona Sul de Marília.

Enquanto a população sofre com a falta de medicamentos básicos, remédios de alto custo e até fraldas e insumos nas Unidades de Saúde e milhares de mães agonizam com a falta de creches para seus filhos (o Tribunal de Contas do Estado já apontou a necessidade de 1.200 vagas para creches em Marília), o prefeito ainda vai tirar mais dinheiro destas duas importantes áreas para torrar em construção de espaço para esportes.

O referido projeto de lei de Daniel Alonso deveria ser votado na sessão camarária desta segunda-feira (10, mas momentos antes da votação chegou á Casa uma correspondência pedindo a retirada da nociva proposta. Alguns vereadores já haviam se manifestado contra o tal projeto.


O local escolhido para gastar esses milhões de reais tirados da Saúde e da Educação seria o abandonado projeto do CIE (Centro de Iniciação ao Esporte), que começou em 31 de março de 2017 e deveria terminar um ano depois. Poucos meses depois de iniciado, tudo foi largado.

Alguns metros de tijolos assentados a menos de meio metro do chão é o sinal de que ali deveria ter sido construído o que ainda está descrito em uma enorme placa toda pichada também abandonada no local.

























39 visualizações0 comentário
bottom of page