Buscar
  • Da redação

BANALIZAÇÃO: Rezende "vê empate de 6 a 5", refaz votação e empurra projetos do prefeito Da


Vereadores Coraíni, Maurício Roberto, Danilo da Saúde, Nardi, Zé Luiz

e Damasceno se levantaram das bancadas, contra o requerimento

Um fato inusitado aconteceu na sessão camarária desta segunda-feira (2). O vereador José Carlos Albuquerque (PRB), agora líder do prefeito Daniel Alonso (PSDB) na Câmara, solicitou a inclusão de cerca de 20 projetos de lei de interesse do prefeito nas próximas sessões camarárias. Parte deles mesmo sem os pareceres das comissões permanentes do Legislativo.

O presidente da Casa, Marcos Rezende (PSD) colocou o requerimento em votação. Com a ausência da vereadora professora Daniela (PL) na sessão (por motivo de saúde) onze vereadores tinham direito a voto, já que o presidente só vota em caso de empate.

Nesse momento, seis vereadores se levantaram das respectivas bancadas, indicando claramente que o resultado foi contra a aprovação do requerimento do vereador Albuquerque. Os vereadores que se posicionaram a favor do requerimento (cinco), permaneceram como estavam (sentados).

Mas, Rezende teve uma "visão diferente" de todo o plenário e galerias da Câmara e anunciou um "empate" na votação. "Empatou, empatou e eu decido pela inclusão dos projetos nas pautas da próximas sessões", concluiu.

FAZENDO TUDO DE NOVO!!!

Nesse momento, indignados com o anúncio do "empate de 6 a 5" por Marcos Rezende, vereadores que votaram contra o requerimento questionaram o presidente.

Após muito bate-boca, Rezende resolveu fazer a votação de novo. E novamente o resultado foi 6 a 5 contra a proposta. Mas, o vereador Mário Coraíni (PTB), que se levantou de novo (a situação esperava o voto dele a favor do requerimento) ficou zanzando de um lado para o outro e acabou "acompanhando a situação" no anúncio de verbal de seu voto.

VAI PEDIR "VAR" NA CÂMARA

"Um absurdo, atitude desrespeitosa e acintosa do presidente da Casa ao não admitir um resultado claro, legítimo, soberano e democrático do plenário. Um resultado mostrado ao vivo pela TV Câmara. Lamentável o absurdo que se chegou no Legislativo", disse o vereador Luiz Nardi ao JP.

Ele lembrou que estavam acompanhando a sessão representantes da ONG Matra e da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil). "Vamos aguardar a posição deles". Vereadores estudam ingressar com ação judicial para barrar a votação dos referidos projetos nas próximas sessões.

O vereador cegou a ironizar a situação. "Vamos pedir a instalação de um VAR (árbitro de vídeo) para acompanhar as transmissões das sessões da Câmara".









503 visualizações0 comentário