Buscar
  • Da redação

Ex-vereador, engenheiro Roberto Monteiro falará sobre "a máfia dos fiscais" na Tribuna Liv


Engenheiro Roberto Monteiro, ex-vereador, na tribuna da Câmara de Marília

na Legislatura 2000/2004

O ex-vereador, engenheiro Roberto Monteiro voltará a Câmara Municipal. Será na quinta-feira (dia 12), às 17h, na Tribuna Livre. O tema dele (anexado ao protocolo) será "Secretaria Municipal de Planejamento Urbano/Máfia dos Fiscais de Obras".

"Esse assunto, de extrema gravidade, interessa à toda comunidade mariliense. Já está sendo investigado desde o ano passado na Corregedoria Geral do Município e pelo Ministério Público Estadual. Pretendo discorrer a realidade dos fatos sobre a máfia dos fiscais, iniciada em 2017 na Prefeitura de Marília", disse Monteiro, que já exerceu também o cargo de secretário municipal de Planejamento Urbano na Prefeitura de Marília.

"São casos, por exemplo, onde fiscais notificavam a pessoa e já apresentava proposta para atuar em projetos e regularização da obra, cobrando apenas 10% do preço de mercado e com solução rápida das demandas, enquanto projetos de outros profissionais demoravam meses para ser liberados pela secretaria", disse Monteiro.

Ele comentou que houve caso em que o fiscal "pegou o serviço" e o projeto foi liberado em 24 horas. "Teve o caso de um fiscal que assinou e regularizou 270 projetos, sozinho, em um ano e três meses. Coisas de fazer bode pular na água".

O ex-vereador disse que o inquérito aberto pelo Ministério Público Estadual para apurar "as denúncias da máfia dos fiscais" já tem 25 volumes. "Atuavam no esquema fiscais com formação em engenharia civil, arquitetura e técnicos em edificações (para construções até 80 metros quadrados).

"Lamentavelmente, a Associação dos Engenheiros e Arquitetos em Marília não moveu uma palha sobre as denúncias. A Corregedoria Geral do Município já determinou este ano o impedimento de fiscais nessas condições atuarem na elaboração de projetos e o Ministério Público segue com o inquérito", explicou Monteiro.

Ele disse que de forma absurda até o ex-secretário municipal de Planejamento Urbano, Rubens Ishi, atuava no esquema na gestão de Daniel Alonso. "Acabou sumindo da secretaria e não sabemos que fim levou. Mas as responsabilidades de todos os envolvidos deverão ser apuradas e as medidas cabíveis adotadas", comentou Monteiro.






















84 visualizações0 comentário