Buscar
  • Assessoria

Estudo coloca Marília entre as 13 cidades com maior necessidade de isolamento social


Pelo estudo, por serem polos regionais, estas cidades têm o maior risco

de difusão do vírus

O Jornal Folha de S. Paulo publicou nesta terça-feira, dia 7, que uma análise, feita por pesquisadores que integram o Centro de Contingenciamento do Coronavírus no estado, foi uma das informações que embasaram a decisão do governador João Doria de ampliar em mais 15 dias a quarentena em todos os 645 municípios de São Paulo. Treze cidades paulistas, entre elas Marília, são centros de maior risco para a propagação do coronavírus pelo interior do estado, segundo estudo da Unesp (Universidade Estadual Paulista). O levantamento indica a necessidade de medidas mais rígidas de isolamento nesses locais. O levantamento levou em conta não apenas o número de casos confirmados de Covid-19, mas também os suspeitos, o número de internações por síndrome respiratória grave e a importância regional dos municípios. Segundo o jornal, o professor Raul Guimarães, que coordena o Laboratório de Geografia da Saúde na Unesp, explicou que “a análise de tendência precisa considerar os dados objetivos, que são os casos confirmados e a influência regional. Mas também informações que nos dão outras pistas já que sabemos existir uma demora na confirmação.” Pelo estudo divulgado nesta terça feira, além de São Paulo, os municípios considerados de maior risco para a propagação são: Araçatuba, Araraquara, Bauru, Campinas, Marília, Piracicaba, Santos, Ribeirão Preto, São José do Rio Preto, São José dos Campos, Sorocaba e Votuporanga. “Existe uma difusão hierárquica do vírus, indo de cidades maiores para menores. Não adianta olhar só para o tamanho da população, mas também a influência econômica e social das cidades na região em que estão”, explicou Guimarães. Por isso, há a necessidade de isolamento em todo em estado, já que a mobilidade entre os municípios é intensa. Para os pesquisadores, o sucesso das ações de bloqueio do avanço do vírus especialmente nesses 13 municípios é que pode garantir a proteção de cidades menores, em que a população é muito mais vulnerável ao coronavírus. Em Marília, o prefeito Daniel Alonso, desde quando surgiu o primeiro caso suspeito, reuniu-se com um grupo de profissionais da saúde da Secretaria Municipal, e das entidades hospitalares locais e definiram por iniciar uma quarentena antes mesmo de o Governador João Dória decretar no Estado todo. Veja algumas das principais medidas tomadas pelo prefeito Daniel Alonso no combate ao coronavirus: - Criação do Comitê Gestor de Combate ao Coronavírus e plano de contingência junto com as entidades hospitalares de da cidade; - Higienização dos ônibus coletivos, que seriam permitidos rodar para o atendimento dos trabalhadores da saúde e de outros serviços essenciais; - Lançamento do site com dados e mapa georreferenciado com os casos suspeitos; - Estruturação do PA Sul para atendimento exclusivo de pacientes com suspeitas, criando uma ala separada para atender pessoas com síndrome respiratória; - Higienização/desinfeção dos locais de maior movimentação, feita pela Secretaria do Meio Ambiente e de Limpeza Pública, em todas as ruas de entidades de saúde de Marília e também de fluxo maior de pessoas; - Prorrogações para pagamentos de impostos municipais: alvará de funcionamento, cujo vencimento era 31 de março, foi prorrogado para 30 de junho; ISS variável prorrogado de 10 de abril para 20 de julho; ISS fixo de 30 de abril para 31 de outubro; IPTU - parcela de 15 de abril teve pagamento prorrogado para 5 de dezembro; taxa de vigilância sanitária passou de 31 de maio para 31 de outubro; conta de água com vencimento em abril poderá ser paga no mês de dezembro; e a taxa dos feirantes passou o vencimento de 30 de março para 31 de outubro; além das suspensões do corte de água (até 1º de julho) e dos protestos de dívida ativa (até 30 de outubro). - Compra de 1000 (mil) testes rápidos para detecção do Covid-19 - Restruturação da Rede Municipal Básica de Saúde com unidades estratégicas para atendimento a pacientes com suspeitas do coronavírus. - Apoio e lançamento do projeto “Marília em Ação”, cujos objetivos principais são acalmar a população e tirar as principais dúvidas de todos através do telefone 0800 186 4633 sobre o Covid-19 (novo Coronavírus). O Projeto idealizado por um grupo de empresários, médicos e outros profissionais da saúde, em parceria com a operadora Life, Santa Casa de Misericórdia, Hospital das Clínicas, Hospital Beneficente Unimar, Secretaria Municipal da Saúde e Secretaria Municipal de Tecnologia da Informação. “Tomamos todas as medidas necessárias para frear a proliferação do coronavírus em nossa cidade, bem antes deste estudo mostrar que, como cidade polo, corremos um grande risco de proliferação da doença. Seguiremos sempre ouvindo as equipes técnicas de saúde de Marília, as entidades e sempre seguindo as determinações da Organização Mundial da Saúde, do Ministério da Saúde e da Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo. Eu sempre digo, a economia a gente recupera com muito trabalho depois, mas o momento é de preservar vidas”, disse o prefeito Daniel Alonso.


21 visualizações0 comentário