Buscar
  • J. POVO- MARÍLIA

Morre agente penitenciário internado no H.C com covid-19. Mortes de detentos apavoram presídios na r


Faleceu vítima de covid-19 no Hospital das Clínicas de Marília o agente penitenciário Moacir Batista, 58 anos. Ele estava internado desde o final de abril, como divulgado pelo JP quando foi removido de Adamantina (onde reside) para Marília.

O estado dele piorou e foi entubado, permanecendo na U.T.I. Ele trabalhava na Penitenciária de Pracinha (uma cidade na região de Adamantina) e a esposa dele também contraiu a doença.

O corpo do agente será transladado para Adamantina, onde há 20 casos confirmados da covid-19 e outros 13 aguardando resultado.

MORTES DE DETENTOS EM PRESÍDIOS DA REGIÃO

SAP (Secretaria de Administração Penitenciária) confirmou duas mortes por Covid-19 na Penitenciária de Lucélia. A situação do sistema prisional, ainda com informações conflitantes, vem sendo a principal preocupação das autoridades de saúde da Nova Alta Paulista, que temem um colapso.

Em duas reuniões nesta semana, os gestores municipais ressaltaram a apreensão ao Governo do Estado de São Paulo. Na segunda-feira (4), os prefeitos participaram de videoconferência com o governador João Doria, oportunidade em que o presidente da Amnap (Associação dos Municípios da Nova Alta Paulista) e prefeito de Osvaldo Cruz, Edmar Mazucato, questionou o comprometimento do Estado em relação aos casos de Covid-19 no sistema prisional. A entidade representa 30 cidades.

“Não temos nada contra, precisamos sim atender de forma igual, mas, pelo andar da carruagem, a maioria dos sintomáticos ou internados é de agentes, mulheres destes servidores ou presidiários. E isso preocupa. Somente este grupo fará entrar em colapso a estrutura de saúde da região. Essa preocupação foi externada ao governador. Isso não é problema do Município, as cidades têm que atender a sua população. E essa população carcerária quem colocou aqui foi o Governo, e ele tem que cuidar disso”, disse o prefeito de Adamantina Márcio Cardim em entrevista ao IMPACTO. Ele também participou da videoconferência com João Doria.

Já na terça-feira (5), o encontro virtual foi com os gestores da saúde pertencentes ao DRS (Departamento Regional de Saúde) de Marília. Os secretários municipais pedem hospital de campanha apenas para atendimento deste grupo.

“Hoje Adamantina poderá enfrentar um problema que não é nosso. Nunca solicitamos penitenciárias, e hoje temos que cuidar de algumas unidades da região. Estamos preocupados. Logicamente que daremos acesso à saúde para todos, porém, tem que haver uma sensibilidade por parte do Estado”, disse Gustavo Rufino, secretário de Saúde de Adamantina.

A cidade já registra aumento no número de atendimentos de sintomáticos oriundos das penitenciárias de Lucélia e Pracinha ou de pessoas com contato direto com servidores destas unidades.

A secretária de Saúde de Osvaldo Cruz, Ivete Alves Conca, também apresentou preocupação pelo possível colapso no sistema de saúde regional devido o rápido contágio do novo coronavírus aliado à superlotação carcerária. Atualmente são 18.855 presos em unidades instaladas em nove cidades da Nova Alta Paulista.

“Muitos municípios estão com óbitos, inclusive nas outras regiões também, e todos com a mesma preocupação: onde encaminhar este paciente, quando encaminhar e como será isolado”, diz. O único caso positivo de Covid-19 em Osvaldo Cruz é de um agente penitenciário.







55 visualizações0 comentário