top of page
Buscar
  • Da redação

Funcionários da Havan fazem manifestação na Prefeitura e na Câmara de Marília pedindo a reabertura d


Um grupo de cerca de trinta funcionários da Havan de Marília fez um protesto por volta das 16h30 desta segunda-feira (18) na porta da Prefeitura e da Câmara de Marília, pedindo a reabertura da loja, que foi formalmente lacrada pela Divisão de Fiscalização da Prefeitura, hoje. Eles portavam bandeiras, tocaram cornetas, carro se som e gritaram palavras de ordem, como "queremos trabalhar". Não solicitaram audiência com o prefeito Daniel Alonso nem com vereadores.

A Havan está impedida de reabrir por decisão da Prefeitura e da Justiça. A loja abriu as portas no final de semana do Dia das Mães e já foi notificada pela fiscalização da Prefeitura, sob pena de multa de R$ 10 mil.

EM BAURU

Conforme divulgado hoje pelo JP, cerca de 60 funcionários da Havan foram recebidos, na manhã desta segunda-feira (18), pelo prefeito de Bauru, Clodoaldo Gazzetta, após protesto realizado pelo grupo na Praça das Cerejeiras, para reivindicar a abertura do estabelecimento naquela cidade.

"FICAR EM CASA NÃO PAGA BOLETO"

Com camisetas da loja – nas cores verde e amarela, além de preta – trabalhadores com máscaras levaram para o ato, realizado em frente a Prefeitura de Bauru, cartazes com dizeres como “Ficar em casa não paga boleto” e “É possível saúde e economia andarem juntas”. Em outras regiões do país, este tipo de iniciativa também foi registrada.






20 visualizações0 comentário
bottom of page