top of page
Buscar
  • Da redação

Marília amplia saída da quarentena e autoriza a reabertura com restrições também de bares, restaura


O prefeito Daniel Alonso (PSDB) sancionou nesta sexta-feira (29), um projeto de lei da Câmara que o autoriza a definir e seguir regras de reabertura do comércio e outros serviços em Marília, a partir de segunda-feira (1°).

O decreto, que será publicado ainda hoje no Diário Oficial do Município, amplia as atividades que poderão abrir, com restrições a partir de segunda-feira. Marília deixa de cumprir determinação judicial que decretou multa de R$ 100 mil por dia em caso de não seguir a quarentena estadual. "Esta medida foi válida na primeira fase da quarentena estadual. Agora, os prefeitos tem autonomia", disse Alonso.

Pela proposta, a reabertura terá regras como limitação de espaços, obrigatoriedade de disponibilização de álcool em gel e higienização dos locais, distanciamento social, controles de acesso e permanência de pessoas nos estabelecimentos, além de horários diferenciados.

Conforme determinado pelo Governo do Estado, a partir de segunda-feira (1°), estão autorizadas, com restrições, apenas as reaberturas de imobiliárias, concessionárias de veículos, comércio, shoppings e escritórios.

O projeto sancionado hoje pelo prefeito, entretanto, altera as decisões do Governo do Estado.

Pelas regras definidas pela Câmara, shoppings e galerias poderão voltar gradualmente às atividades com 20% da capacidade e funcionando das 12h às 16h.

Restaurantes, bares e similares poderão retomar as atividades com 40% da capacidade, 4 horas por dia. Cada restaurante terá que ter um funcionário servindo os clientes, para evitar que os clientes peguem os mesmos talheres.

Os salões de cabeleireiros poderão retornar com 40% da capacidade e seis horas por dia. As academias voltarão com 50% da capacidade.

CORRIGIR O ERRO

Alonso disse que o governador João Doria (PSDB) não deverá "corrigir o erro" na análise de dados que, pelas regras estaduais, impediu Marília de reabrir restaurantes, bares, hotéis e similares, bem como academias e salões de beleza, a partir de segunda-feira.

"O governador é do meu partido, estou alinhado com ele, mas infelizmente não atendeu nosso pedido de rever as regras de quarentena e creio que não fará por motivos óbvios: teria que rever de outras regiões onde cometeu erros, também", disse o prefeito.


















63 visualizações0 comentário
bottom of page