Buscar
  • J. POVO- MARÍLIA

Faneco diz que "pendurou as chuteiras" e desiste de ser candidato a prefeito de Garça, est


Alegando decisão de caráter familiar, financeiro e em razão da crise provocada pela pandemia do coronavírus, o ex-prefeito de Garça por quatro gestões, Alcides Faneco (PSDB), declarou que não será mais candidato a prefeito daquela cidade nas eleições municipais deste ano. Falando ao JP, ele também criticou a situação do próprio partido. "O PSDB, Deus me livre, está de cabeça pra baixo", resumiu.

"Para fazer campanha tem que ir a campo, sair, andar pelas ruas. E como vamos andar pelas ruas com a população vivendo essa grave crise com o coronavírus? Está difícil. Refleti sobre isso, conversei com a família e tomei a decisão de não sair candidato", disse Faneco.

Ele descartou também a candidatura de seu filho, o vereador Paulo André Faneco, que seria seu "sucessor natural". "Ele deverá ser candidato a vereador", explicou.

O ex-prefeito disse que "chegou a hora de pendurar as chuteiras", mas não descartou a possibilidade de disputar outras eleições futuras. "Política você sabe como é, né, tem eleições a cada dois anos, mas já não temos mais aquele vigor da juventude?".

Ele se apresentava, até então, como pré-candidato a prefeito de Garça. "Agora, a candidata natural que vamos apoiar é a Patrícia Marangão (PSD), que seria minha candidata a vice. Ela está com maior disposição", explicou.

CONTAS REJEITADAS PELA JUSTIÇA ELEITORAL E INELEGÍVEL

Sobre sua situação na Justiça Eleitoral, onde estaria tecnicamente inelegível por rejeição de contas nas eleições de 2018 (quando teve homologada sua candidatura a deputado federal e renunciou no curso da campanha), Faneco disse que "essa questão está pendente no TSE", em Brasília. Ele teve as contas rejeitadas pela Justiça Eleitoral em Garça e pelo Tribunal Regional Eleitoral, que decretou a inelegibilidade.

"Na prestação de contas embora eu tenha renunciado e nem feito campanha, era necessária a apresentação de um pendrive junto com o material impresso. Esse pendrive não chegou num primeiro momento, não sei porque diabos e nem onde foi ele foi parar. Aí, levei pau! Mas, depois anexamos esta mídia, mesmo sem números, como permite a legislação. Essa questão ainda vai longe, com mais recursos. Mas esse fato não teve nenhuma influência em minha decisão de desistir da candidatura a prefeito", afirmou,

CARREIRA

Aos 71 anos de idade, Faneco iniciou sua carreira política em Garça como vereador, em 1989/92. Em seguida, se elegeu prefeito (93/96), cargo que voltou a ocupar em outras duas gestões seguidas (2001 a 2008) e a quarta e última delas de 2012 a 2016, quando tentou a reeleição mas foi derrotado pelo atual prefeito, João Carlos dos Santos (DEM).

Faneco ainda ocupou o cargo de subprefeito da região Jaçanã/Tremembé, em São Paulo, durante a gestão de Gilberto Kassab (2009/2012). Após a derrota de 2016, em Garça, Faneco foi nomeado como secretário municipal da Administração pelo prefeito Daniel Alonso (PSDB), em Marília, no início de 2017. Deixou o cargo no ano seguinte.


Justiça Eleitoral negou recurso extremo e deixou Faneco inelegível este ano

COMUNICADO DE FANECO


"AOS MEUS AMIGOS

Com a proximidade de mais uma campanha eleitoral, onde vamos eleger prefeito e vereadores para os próximos quatro anos de mandato, abrem-se as discussões sobre os prováveis candidatos e assim nascem as críticas e os elogios aos nomes em pauta. Já participamos de algumas eleições e como não poderia ser diferente tivemos vitórias e também derrotas. E tanto em uma quanto em outra aprendemos muito.

Neste período, tivemos o nosso nome citado para concorrer a um novo mandato ao executivo municipal. A princípio, como vivíamos em uma situação de normalidade, nos entusiasmamos com a ideia, uma vez que temos em mente diversos planos para o desenvolvimento de nosso município. E assim, convidamos várias pessoas a nos acompanhar nessa jornada e nos ajudar na conquista desse intento. Com alguns partidos políticos a nós vinculados, procuramos formar grupos de candidatos ao legislativo, cumprindo o que determina a legislação eleitoral. E depois de algumas reuniões muito vibrantes, acabamos por decidir democraticamente os pré-candidatos ao legislativo e ao executivo, surgindo no grupo o nome da vereadora Patrícia Marangão para concorrer à vice na chapa.

Hoje infelizmente tudo mudou e passamos todos a viver uma nova situação que nos obriga a repensar nossos atos, forçando-nos a refletir sobre todo o contexto que até então havíamos delineado. Em primeiro lugar, os cuidados com a nossa saúde e de nossa família. Desnecessário maiores explicações.

Sabemos do alto grau de responsabilidade que temos quando assumimos tal desafio. Em uma campanha eleitoral precisamos estar presentes junto a população, principalmente para ouvirmos suas reivindicações, além de esclarecermos certas situações de desinformações plantadas muitas vezes por pessoas mal intencionadas. As circunstâncias, infelizmente me impedem de cumprir essa missão.

Por essas e outras razões de cunho pessoal e familiar, venho comunicar a todos, que não mais serei o candidato a prefeito de nosso grupo, conforme decidido anteriormente. Já comuniquei esse fato à Patrícia, que se prontificou a ser ela a nossa candidata.

Em havendo consenso no grupo, vamos todos nos unir a ela, para juntos alcançarmos os nossos objetivos de vencer essas eleições e eleger um grande número de vereadores à Câmara Municipal.

Faço um apelo para que o nosso grupo permaneça em unidade. Estarei sempre junto a todos nessa luta. Agradeço a confiança que todos vocês em mim depositaram, mas peço que compreendam os motivos que me fizeram mudar o rumo de nossa proposta inicial.

Gostaria muito de ter conversado pessoalmente com cada um de vocês sobre essa decisão, mas infelizmente as circunstâncias não permitiram. Tenho certeza, porém, que não faltarão oportunidades!

Vamos continuar trabalhando na construção de um novo tempo para nossa cidade apoiando todos aqueles que serão os nossos candidatos.

Forte abraço a todos!

Faneco"















64 visualizações0 comentário