Buscar
  • J. POVO- MARÍLIA

Prefeitura "autoriza" empresas de ônibus a transportar idosos em horários restritos, contr


Ônibus urbanos circulando lotados em plena pandemia em Marília

Pressionado pela avalanche de reclamações de idosos impedidos arbitrariamente de usar os ônibus das empresas Sorriso e Grande Maríla, o prefeito Daniel Alonso (PSDB) publicou no Diário Oficial do Município de Marília desta quinta-feira (27), uma portaria que modifica o Decreto 12.976, de 20 de março de 2020, liberando o uso do transporte coletivo para as pessoas com idade igual ou maior a 60 anos a partir do dia 1 de setembro.

Mas tem um detalhe:"só poderão circular em horários não coincidentes com o fluxo de entrada e saída dos trabalhadores do comércio. Com essa medida, as concessionárias ficam autorizadas a retomar a gratuidade da tarifa para este público".

Ou seja, continua o descaso e ilegalidade com os idosos, uma vez que é um direito constitucional deles (Estatuto do Idoso, Lei 10.741 de 1 de outubro de 2003) usar ônibus urbanos sem pagar nada EM QUALQUER HORÁRIO.

A tal Portaria em |Marília "libera o uso do transporte para as pessoas com idade igual ou superior a 60 anos apenas nos seguintes horários: das 4h às 9h; das 11h às 13h; e das 15h às 23h59min, mantendo a restrição nos horários das 9n01 às 10h59; das 13h01 às 14h59".

INÉRCIA DO MP

Promotor de Defesa do Consumidor, Alfredo Sant'Anna (à esquerda) dando volta em ônibus urbano em Marília, no ano passado: empresas seguem judiando dos idosos

A Promotoria de Defesa do Consumidor, estranhamente, ainda não tomou nenhuma providência nesse sentido. O promotor da área, José Alfredo Sant'Anna, que andou de ônibus urbanos no ano passado e até prometeu uma ação para obrigar as empresas a transportar todos os passageiros sentados, não tomou nenhuma providência contra a arbitrariedade das empresas de ônibus em relação aos direitos dos idosos.

SEM HIGIENIZAÇÃO DOS ÔNIBUS

Outra relaxo das empresas Grande Marília e Sorriso de Marília é a deficiência na higienização dos ônibus,que deveriam ser higienizados ao final de cada volta, mas isso não acontece.

Também não existe regras de distanciamento dentro dos ônibus, que em grande parte dos trajetos circulam lotados e com passageiros amontoados. Tudo isso sem nenhuma fiscalização.









13 visualizações0 comentário