Buscar
  • J. POVO- MARÍLIA

DIG esclarece dois homicídios ocorridos na Zona Norte de Marília, identifica e prende acusados


O delegado titular da Delegacia de Investigações Gerais (DIG), Valdir Tramontini, comunicou nesta sexta-feira (9) os esclarecimentos de dois homicídios ocorridos na Zona Norte de Marília. Tranalhos eficientes resultaram em prisões dos envolvidos e identificação de outros. No primeiro caso, a jovem Vitória dos Santos Alves, de 20 anos, foi morta com três tiros no dia 23 de setembro, por volta das 12h, na Rua Alcides João Zambon, na Zona Norte de Marília, Naquela ocasião, ela se encontrava defronte sua casa, em companhia de um amigo, quando lá chegou o autor do crime em uma moto, sacou uma arma e efetuou disparos, provocando-lhe a morte. Hoje, através de diligências realizadas pelos investigadores da DIG, houve a localização de um investigado de 25 anos, que após negativa inicial, acabou confessando a autoria do crime, alegando que, havia matado Vítória em virtude, segundo ele, de ofensas e ameaças que por ela teriam sido feitas. O assassino, cuja identidade não foi divulgada pela Polícia, afirmou que na data dos fatos, ao sair de seu trabalho para almoço, já na posse de um revólver com três cartuchos, foi até local ermo da cidade, onde cobriu a lataria e as placas da motocicleta com sacos plásticos pretos, se dirigindo em seguida ao local do crime, onde executou a vítima, sem ouvir aos apelos dela, que pediu “pelo amor de Deus que não fizesse aquilo”. O veículo foi apreendido nesta manhã, sendo que em relação a arma não havia sido ainda localizada. O autor inicialmente alegou que a tinha destruído, cortando-a em pedaços, mas acabou efetuando sua exibição, tratando-se de um revólver calibre 44 Magnum, de cano longo. Ante a inexistência do estado flagrancial e de anterior mandado de prisão expedido, o autor (que não possuía antecedentes criminais) foi liberado, após confessar formalmente o crime, e apresentar a arma de fogo por ele utilizada, não se descartando, caso se entenda necessário, a qualquer tempo, a decretação de eventual prisão preventiva. Tramita por esta especializada inquérito policial para cabal esclarecimento dos fatos, onde se apura hediondo crime de homicídio qualificado, mediante recurso que impossibilitou a defesa da ofendida, com pena de 12 a 20 anos de reclusão. HOMICÍDIO DE ADOLESCENTE DE 15 ANOS

O delegado também comunicou o esclarecimento do desaparecimento e morte de Rafael Ferreira Pozzani, de 15 anos, ocorrido no dia 22 de setembro, por volta das 23h, quando a vítima desapareceu, após ter sido vista em esquina da Rua Arnaldo Spachi. Seu corpo foi localizado apenas na tarde de 27, em mato naquela região, em adiantado estado de decomposição e com grande extensão do corpo coberto com folhas. Segundo diligências realizadas pela DIG, extremamente prejudicadas em face da “lei do silêncio” que impera naquela região, na data dos fatos, Rafael teria discutido com um rapaz de 18 anos, chamando-o de “talarico” (se relacionar com esposa/amásia de outro), sendo que este fútil motivo provocaria sua morte pouco tempo depois. Consta das investigações que, por volta das 23h, a vítima estava em esquina da Rua Arnaldo Spachi, quando, sob ameaça de arma de fogo, foi rendida e dominada por 4 rapazes, os quais a conduziram centenas de metros mato adentro e lá o teriam matado, não se sabendo ainda como ocorreu a execução, pois ainda não houve o recebimento do laudo necroscópico, tratando-se com certeza de morte violenta, provocada por terceiros, eis que houve tentativa de ocultar o corpo, cobrindo-o com folhas. Dentre os autores há um adolescente de 16 anos, apreendido em face de decretação de sua internação provisória, decretada pela Vara da Infância e da Juventude local. Os outros três são imputáveis (maiores de idade), e tiveram suas prisões temporárias por 30 dias decretadas após representação do dr. Tramontini, sendo que um deles (20 anos) foi preso dias depois dos fatos, por tráfico de entorpecentes, encontrando-se preso na Penitenciária de Marília. Todos os autores, cujas identidade não foram divulgadas pela Polícia, possuem envolvimento com o tráfico. Em buscas na casa do adolescente, nesta data, policias civis desta DIG localizaram no quarto dele 17 microtubos com cocaína, e ele, além de participação no homicídio, responderá também, por ato infracional de tráfico de entorpecente, sendo encaminhado para Cadeia de São Pedro do Turvo, onde aguardará remoção para a Fundação Casa. Resta a localização de dois autores, um de 18 anos, com quem a vítima teria se desentendido, e outro de 19 anos, que desocuparam os imóveis onde residiam, respectivamente, na Rua João Domingues de Oliveira e Rua Rosa Iachel Mazeto, solicitando-se que eventuais notícias dos paradeiros deles sejam comunicadas através do telefone 197, com sigilo das identidades dos denunciantes. Tramita pela DIG inquérito policial para cabal esclarecimento dos fatos, onde se apura hediondo crime de homicídio qualificado, por motivo fútil e mediante recurso que impossibilitou a defesa do ofendido, com pena de 12 a 20 anos de reclusão, e ocultação de cadáver, com pena de até 3 anos.













41 visualizações0 comentário