Buscar
  • JCNET

"Cansado de vender drogas", rapaz se entrega à polícia. Outro é preso acusado da morte de


A Polícia Civil de Bauru realizou uma prisão, no mínimo, inusitada nesta semana. Um jovem de 24 anos compareceu ao Plantão Policial e disse que estava "cansado" de vender drogas. Ele, inclusive, carregava crack e dinheiro.

Morador do Fortunato Rocha Lima, o jovem foi até o local e fez a confissão na última terça-feira (20). Segundo a Polícia Civil, ele portava 23 pedras de crack, além de R$ 92,00. A droga e o dinheiro foram apreendidos.

O acusado foi preso em flagrante por tráfico de entorpecentes pelos policiais do Plantão Policial e do Setor de Investigações Gerais (SIG) da Central de Polícia Judiciária (CPJ) de Bauru.

"NUNCA VI"

Delegado assistente da Delegacia Seccional de Bauru, Luiz Puccinelli, conta que, em 12 anos de polícia, nunca presenciou uma ocorrência assim. "Nunca vi. E chamou a atenção o fato de ele ir lá, confessar e ainda estar portando drogas e dinheiro", relata o delegado, que trabalhou por oito anos na unidade especializada de repressão ao tráfico de drogas.

"Muitas vezes, a pessoa é presa e, depois, diz que vendia drogas por necessidade e está arrependida. Mas, dessa maneira, ir lá e confessar, nunca havia visto", complementa Puccinelli.

PRISÃO DE ENVOLVIDOS NA MORTE DE EMPRESÁRIO

A Polícia Civil de Jaú identificou dois suspeitos de envolvimento no roubo ocorrido no último dia 13 de maio que terminou com o assassinato a tiros do empresário Francisco Perez Filho, 58 anos, proprietário de uma loja de rações na rua Prudente de Moraes, na Vila Nova (leia abaixo). Um dele foi preso em Maringá, no Paraná, e confessou o crime. O segundo jogou o veículo contra policiais que tentavam abordá-lo em Jaú, conseguiu fugir e é considerado foragido. Os nomes completos dos dois não foram informados pela polícia.

As investigações que levaram à identificação da dupla foram conduzidas pela Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Jaú. O primeiro identificado foi J.A.D.S.N., 19 anos, que, segundo a Polícia Civil, seria o autor dos disparos. "Ele já era conhecido nos meios policiais em razão de seus roubos, sempre praticados com extrema violência e crueldade", declara o titular da DIG, delegado Marcelo Aparecido Tomaz Goes.

Com o apoio de policiais civis da 9ª Subdivisão Policial de Maringá/PR, equipe da DIG de Jaú prendeu ele naquela cidade, no último dia 9. "Quando interrogado, acabou por admitir ser o autor dos disparos que ceifaram a vida do empresário e que foram disparados contra o funcionário do estabelecimento, também com o intuito de matá-lo, para subtrair valores das vítimas e do estabelecimento", revela o delegado.

Na noite desta quarta-feira (21), o segundo suspeito, de 22 anos, apontado como condutor da motocicleta utilizada pela dupla na fuga, foi abordado em Jaú. A pedido do titular da DIG, assim como o primeiro, ele está com a prisão temporária decretada por trinta dias. "Ele atentou contra a vida dos policiais civis que o abordaram, jogando contra eles o veículo que conduzia, empreendendo fuga e não sendo localizado", conta.

"Ele também é conhecido por seu histórico de crimes violentos e por sua provável participação numa organização criminosa que atua dentro e fora dos presídios paulistas". Ainda de acordo com Goes, a dupla também é investigada por uma tentativa de latrocínio que vitimou um policial militar de folga, na noite de 3 de agosto de 2019, em uma pizzaria localizada na rua Saldanha Marinho, região central de Jaú. Nos autos do inquérito, o delegado representou pela prisão preventiva de ambos.

RELEMBRE O CRIME

Conforme divulgado pelo JC, no final da tarde do dia 13 de maio, dois homens chegaram na casa de ração de propriedade de Francisco Perez Filho em uma Honda/Falcon. Armado, o passageiro desceu, anunciou o roubo, efetuou os disparos e fugiu levando cerca de R$ 3 mil que estavam no bolso da vítima. O empresário foi atingido por três disparos, no tórax e no braço esquerdo. Ele foi socorrido pelo Samu e encaminhado ao Pronto-Socorro (PS) da Santa Casa da cidade em estado grave, mas não resistiu aos ferimentos.












60 visualizações0 comentário