Buscar
  • J. POVO- MARÍLIA

Vereador João do Bar acredita em atentado político após tiros contra o carro dele. Veículo era dirig


O vereador João do Bar (PP), disse ao JP que acredita que os disparos de tiros contra um veículo dele, dirigido por um assessor na noite desta segunda-feira (26), foi um atentado político.

"Só pode ser, pois não temos nenhum problema de ordem pessoal e pela forma como ocorreu", disse o parlamentar. Ele ainda estava na Câmara quando ocorreu a tentativa de homicídio. "Eu uso todos os dias o carro que o meu assessor estava dirigindo. Frequentemente eu saio da Câmara com o Eder (assessor), mas (na noite de ontem) como teria que providenciar alguma coisas, ele foi sozinho na frente", ressaltou.

A tentativa de homicídio ocorreu por volta das 19h, após o assessor parlamentar Eder de Souza, de 38 anos, residente no Distrito de Padre Nóbrega, ter deixado a Câmara Municipal.

Ele seguia com um veículo Corsa Classic, ano 2012, preto, pela Rodovia do Contorno, na Zona Norte, quando na alça de acesso ao Bairro Santa Antonieta foi fechado por um veículo VW Gol, cor prata, e bateu no guard-rail.

Em seguida, dois indivíduos ocupando uma motocicleta de grande porte parou à frente do carro conduzido por Eder. O garupa desceu da moto, se aproximou do veículo e começou a disparar.

Ele relatou que um primeiro tiro não acertou o carro, então se abaixou no banco para se proteger.

Dois projéteis atingiram o para-brisa dianteiro do carro, sendo que um deles atingiu e danificou o volante e salvou a vítima. Outro se alojou no banco do passageiro. Nenhum dos tiros atingiu o motorista.

Após o disparos, a motocicleta seguiu pela rodovia. Eder conduziu o carro até a casa do vereador e depois ambos seguiram para a CPJ.

O delegado plantonista, Gilson Quintino de Souza, acompanhado de investigadores e da vítima se dirigiu até o local do atentado. O assessor não soube precisar o local exato em que colidiu com o grad-rail. Não forma encontrados vestígios no local.







105 visualizações0 comentário