Buscar
  • Por Adilson de Lucca

A dois dias da nomeação, novo secretário da Saúde ainda é mistério. O mais cotado é Luciano Vilela


Médico veterinário e supervisor da Vigilância Sanitária, Luciano Vilela com o prefeito Daniel

O atual secretário municipal da Saúde, Cássio Luiz Pinto Júnior, o Cassinho, deixará o cargo na próxima quarta-feira (15) e voltará para a secretaria municipal da Administração (de onde saiu em abril de 2020 para assumir a Saúde no lugar de Ricardo Mustafá). Anúncio oficial nesse sentido foi há uma semana pelo prefeito Daniel Alonso (PSDB).

Mas, até agora, ainda não foi divulgado pelo prefeito quem será o novo titular da Saúde.

O nome mais cotado é o do médico veterinário Luciano Vilela, servidor de carreira e atual supervisor da Divisão de Vigilância Sanitária, órgão vinculado à secretaria municipal da Saúde.

Vilela esteve reunido com o prefeito, no gabinete, onde recebeu oficialmente o convite para assumir a Pasta.

ENTROU NA PANDEMIA

Cassinho assumiu o cargo no dia 3 de abril de 2020. É o terceiro secretário municipal da Saúde que permaneceu mais tempo no cargo. O primeiro foi o médico Ênio Duarte (primeira gestão de Abelardo Camarinha - 83/88) e o médico Júlio César Zorzeto (primeira gestão Mário Bulgareli - 2005/2008).

Cássio assumiu o cargo poucos dias antes de ser confirmada a primeira morte pela Covid em Marília. "O coronavírus, a Covid19 ainda eram praticamente um mistério em termos de ações de gestão. Fizemos um enfrentamento e com a equipe de trabalho a situação foi sendo administrada, com as dificuldades vivenciadas por todo o Brasil e o mundo, como falta de insumos, vacinas, respiradores e máscaras de proteção facial", lembra o secretário.

Cássio disse ao JORNAL DO POVO que entre os legados deixados pela pandemia, após a fase mais crítica, estão a ampliação de leitos de UTI/SUS, que foram instalados para pacientes da Covid e agora mantidos pelo Governo Federal para uso geral. "Além dos equipamentos adquiridos de forma emergencial, que seguem sendo usados na rede".

Também mencionou a introdução do Pronto Atendimento da Zona Sul e da UPA da Zona Norte no sistema CROSS (órgão do Governo do Estado que regula vagas de internações com critérios técnicos). "Esse sistema permanece até hoje", ressaltou.

Sobre a vacinação contra a Covid, o secretário afirmou que Marília atingiu as mais altas taxas de vacinação do Estado em tempo recorde. "Implantamos um modelo de vacinação que foi adotado por outras cidades, com orgnização e equipe eficiente. Chegamos a quase 90% da população atendida com doses da vacina contra a Covid. Esse trabalho trouxe mais tranquilidade e segurança à população de Marília em relação à pandemia, com redução de internações em UTIUs pela doença, casos graves e óbitos".

Cassinho vai deixar a secretaria da Saúde na quarta-feira

TRANSFORMAÇÕES DE UBSs EM USFs

O secretário falou do projeto de transformação de 12 Unidades Básicas de Saúde (UBSs) em Unidades Estratégia da Família (USFs). Quatro UBSs já efetivaram esse processo: Jardim Bandeirantes, Núcleo JK, Núcleo Costa e Silva e Vila São Miguel (inicia hoje). Os próximos serão Bairro Castelo Branco e Jardim Planalto.

"Ao contrário do que alguns insistem em dizer, não fechamos nenhuma Unidade. Pelo contrário, foram ampliadas, com mais equipes e serviços mais eficientes prioriando a Atenção Primária, com equipes visitando, orientando e tratando de pacientes e seus familiares nas residências. Esse método de medicina preventiva é recomendado pela Organização Mundial da Saúde e realizado através dos USFs, atendendo a população no território da Unidade, mediante cadastros e fichas clínicas", explicou Cassinho.

Cada equipe da USF é composta por um médico, um dentista e uma enfermeira, além do pessoal de apoio. O Município banca 60% dos recursos de USFs e o Governo Federal 40%. Marília conta com 48 UBSs e 52 equipes (algumas têm mais de uma equipe de Atenção Primária).

FARMÁCIAS

Cássio lembrou ainda da ampliação das Farmácias Municipais que foram instaladas na Zona Oeste (com Almoxarifado de Medicamentos), Zona Leste, Zona Sul e Centro. Hoje será inaugurada a Farmácia Municipal na Zona Norte (Vila Nova). Também ocorre a entrega de novos veículos para a frota da Saúde.

CRÍTICAS

Sobre as críticas de parte da imprensa e alguns vereadores por sua atuação na Saúde, Cassinho disse que são naturais da função e da complexidade da Pasta, principalmente durante uma pandemia desconhecida.

"Mas procuramos sempre assimilar as críticas com senso e construtivas. Muitos ataques com mero interesse político nem damos atenção. Se ficar olhando isso a gente não faz nada". comentou.

Entre os ataques estão o fato dele ter saido dono de pizzaria. "Não sou pizzaiolo, como insistiram em dizer. Pizzaiolo faz pizza. Eu, não! Apenas como pizzas. Sou adminustrador de empresas formado. E Saúde é gestão", disse Cassinho, lembrando que atuou por dez anos na Irmandade da Santa Casa de Marília e seis anos na área sindical.

Cássio lamentou que alguns veículos de comunicação só criticavam insistentemente e não lhe dera oportunidade do contraditório. "Infelizmente, só interesses e mesquinharia política, sem ao menos permitir explicações para a comunidade. Tenho dó de quem faz esse tipo de coisa. Quem me conhece sabe da minha capacidade, com eventuais falhas, como todo mundo. Quem não me conhece, analise o meu trabalho".

Após atuar como secretário de Desenvolvimento e Turismo na gestão do prefeito Vinícius Camarinha (2013/2016). Cassinho foi convidado para continuar no cargo na gestão de Daniel Alonso (a partir de 2017). Depois, passou pela secretaria da Administração e virou o terceiro secretário da Saúde da atual gestão, depois de Kátia Santana (1,9 ano) e Ricardo Mustafá (1,4 anos).



137 visualizações0 comentário