Buscar
  • J. POVO- MARÍLIA

Acadêmicos da Unimar são premiados no evento internacional HackHealthTech 2021


Acadêmicos dos cursos de Análise e Desenvolvimento de Sistemas (ADS) e Publicidade e Propaganda da Universidade de Marília (Unimar) foram premiados no evento internacional de inovação na área da saúde, HackHealthTech 2021, uma competição que visou fomentar o desenvolvimento de inovações e startups na área da saúde, promovida pela Religare Innovation Lab, com apoio da Unimar, Bluefields Aceleradora, Hitachi, Politécnico de Leiria e Unimed Marília. O evento contou com equipes do Brasil e Portugal, tendo como sede brasileira a Unimar e a cerimônia de premiação realizada em Santo André.

De acordo com a Pró-reitora de Pesquisa, Pós-graduação e Ação Comunitária da Unimar, Fernanda Mesquita Serva, “Nossos alunos foram brilhantes e as parcerias celebradas para a realização do HackHealthTech 2021 já começaram a dar frutos, pois os trabalhos desenvolvidos apresentaram soluções que beneficiarão não apenas os usuários do sistema de saúde de Marília e Região, mas de todo o país e, provavelmente, também em outros países”, destaca.

Participaram do evento 97 pessoas, entre 24 equipes brasileiras e 3 portuguesas. Todos criaram startups para solucionar problemas apresentados pelos centros de saúde parceiros, como Hospital Beneficente Unimar (HBU) e Secretaria de Saúde de Marília, nas áreas da telemedicina, tecnologias de acesso à informação, digitalização de processos e serviços de saúde, dispositivos médicos, gestão e prontuários eletrônicos do paciente, marketplace, jornada do paciente, entre outros.

Foram escolhidos três projetos, os quais serão acelerados pela equipe Bluefields Aceleradora. Segundo a organizadora do HackHealthTech 2021, Priscila Parede, da Religare, é sempre importante buscar soluções para a saúde. “Entendemos a importância do envolvimento de pessoas empenhadas em solucionar problemas da área da saúde através da inovação e tecnologia”, ressalta.

O primeiro lugar ficou com a equipe da Fatec de Garça, o grupo “Bem Simples”, formado pelos alunos Eduardo Santana, Thiago Martins, Luther Nogueira e Rebecca Assis.

A equipe “MedGo”, formada pelos acadêmicos do curso de Análise e Desenvolvimento de Sistemas, Lucas Giovani, Gustavo Leite Gil, Matheus Menezes e Emerson Willian, conquistaram a segunda posição.

Para o acadêmico Lucas Giovane conquistar a segunda posição foi sensacional. “Mesmo que a gente tivesse muita confiança no projeto, estávamos inseguros pelo curto espaço de tempo que tínhamos para desenvolvê-lo e a pouca experiência em hackathon, mas superamos muito as expectativas. Eu não conhecia nada sobre hackathons e, confesso, achei que não fosse para meu perfil, mas resolvi arriscar e, com certeza, foi uma das melhores escolhas que tomei, porque vai beneficiar muito a minha carreira. Estou me graduando 100% preparado para o mercado de trabalho”, destaca.

O acadêmico Emerson William contou sobre a felicidade em desenvolver o projeto. “Tivemos a ideia, mas confesso que no dia estávamos meio apreensivos. Analisamos todas as propostas e nos interessamos pela problemática apresentada pelo HBU, voltado à parte de rastreabilidade de materiais, equipamentos e pacientes. Conversamos com os mentores, que foram muito

importantes, nos dando força para desenvolvermos o projeto. Agora, deixo a Unimar com ainda mais bagagem, porque sempre foi a minha vontade empreender e esta é uma oportunidade muito grande, porque possuo uma startup aberta. É muita felicidade e uma sensação de completude”, conta.

Para o coordenador do curso de ADS, Raphael Zanon, a conquista mostra como os alunos deixam a Universidade preparados para o mercado de trabalho. “O curso possui uma metodologia focada no desenvolvimento de soluções. O hackathon, que tem esta temática, mostra o quanto estes alunos estão preparados para o mercado de trabalho, com qualidade para enfrentar qualquer desafio. Sem contar que eles já saem com experiência de um evento de inovação internacional, em que conquistaram uma experiência muito grande em que puderam aplicar tudo o que aprenderam, ao longo do curso, em uma solução efetiva”, ressalta.

O terceiro lugar foi conquistado pela equipe “Result Control”, formada pelos acadêmicos do curso de Publicidade e Propaganda, Aline Prata, Júlia Moura, Lucas Daquino, Alexandre Henrique e Mariana Alves. A acadêmica Aline destaca a experiência de participar do Hackathon. “Ter este prêmio internacional em meu currículo vai agregar em muito na construção da minha carreira, porque é uma conquista que eu não esperava que acontecesse e fiquei muito feliz”, celebra

O acadêmico Alexandre Henrique conta que foi uma vitória inesperada. “Desenvolvemos o projeto com a intenção de ganhar, claro, mas a gente nunca acredita na conquista, então foi uma surpresa bem grande. Nos dedicamos a buscar soluções para problemas narrados pelo HBU, com o rastreamento de equipamentos, e propomos um sistema com o qual a equipe consegue encontrar em tempo real onde estão os equipamentos. Esta oportunidade vai pesar bastante no meu currículo e tenho certeza que, daqui em diante, vou querer participar de mais hackathons e, quem sabe, chegar ao primeiro lugar”, declara.

A coordenadora do curso de Publicidade e Propaganda da Unimar, Débora Massarollo Otoboni, fala sobre o orgulho dos alunos que se dedicaram para entregar o melhor projeto. “Foi um desafio muito grande, mas eles apostaram e conquistaram. O projeto foi o resultado de um esforço coletivo, unindo os alunos, professores e mentores para desenvolver esta ideia brilhante, e deu certo. Além disso, este prêmio é um estímulo para os próximos eventos, porque neste primeiro todos estavam muito ansiosos, mas percebemos que, trabalhando em equipe, tendo um suporte acadêmico adequado, tudo é possível”, declara.

16 visualizações0 comentário