Buscar
  • J. POVO- MARÍLIA

Agentes de trânsito acusados de não cumprir ordens superiores são alvo de novos processos na Emdurb


Uma semana após abrir seis sindicâncias contra agentes de trânsito que fizeram postagens em redes sociais denegrindo administradores e até o presidente da autarquia, Valdeci Fogaça de Oliveira, a direção da Emdurb publicou no Diário Oficial do Município desta quinta-feira (17), mais três portarias com determinações de Processo Administrativo Disciplinar contra agentes que não atenderam ordens superiores.

Um deles, conforme a Portaria, "deixou de atender determinação do coordenador do seu setor, onde deveria apoiar a PMESP em ocorrência de atropelamento na Avenida Sanches Cibantos, bloqueando inclusive o celular corporativo de seu superior hierárquico imediato".

Outros dois agentes de trânsito "omitiram a verdade e descumpriram ordem direta do coordenador do setor para que transmitissem via rádio determinação para apoiarem a PMESP em ocorrência de atropelamento".

As publicações citam que os casos serão investigados em Processo Administrativo Disciplinar, destinado a apurar eventual responsabilidade funcional relativamente aos fatos relatados, devendo ser conduzida pela Comissão Processante Disciplinar.

As penalidades, caso comprovadas as denúncias, podem ir de advertência à suspensão e, nos casos mais graves, até demissão dos envolvidos.

No caso dos ataques em redes sociais, houve também, segundo as Portarias, comentários denegrindo empresas terceirizadas que prestam serviços à Emdurb.

As apurações serão feitas por uma comissão de funcionários da Emdurb, que vão analisar documentos e provas com base nas leis trabalhistas e no Código de Ética dos Servidores Municipais de Marília. Não há prazo para conclusão dos trabalhos e nenhum agente foi afastado das funções.

Dr. Valdeci Fogaça de Oliveira, presidente da Emdurb

ACÚMULO DE PROCESSOS ADMINISTRATIVOS

Já são 17 Processos Administrativos abertos ao longo dos últimos três anos pela direção da Emdurb para investigar eventuais condutas irregulares de agentes de trânsito.

Os casos em investigação estavam sob a responsabilidade da Corregedoria do município, mas foram transferidos para a Emdurb. Entre as denúncias analisadas há casos de abandono de posto de trabalho e de apresentação de atestado médico irregular.

ROTA DE COLISÃO

No ano passado, alguns agentes de trânsito entraram em rota de colisão com a direção da Emdurb, alegando "perseguições e retaliações", como mudanças repentinas em escalas de trabalho. Chegaram a acionar o Sindicato dos Servidores Municipais e o vice-prefeito, Cícero do Ceasa. A situação foi pacificada.




139 visualizações0 comentário