Buscar
  • J. POVO- MARÍLIA

ALERTA! Butatan confirma variant Delta em cidade na região de Marília


A mais preocupante das variantes da covid-19 já foi confirmada em Ibirarema (89 quilômetros de Marília).

O Instituto Adolfo Lutz, fez coletas por amostragens e enviou o exame para o Butantan, que confirmou o isolamento da variante do vírus. Isto pode provocar uma nova onda da doença em toda a região, caso a população não tome os cuidados necessários e, principalmente, a segunda dose da vacina.

Ainda não há informações sobre a data da amostragem ou a situação do paciente de Ibirarema. “Isto significa que possivelmente esta variante esteja também em Santa Cruz”, admitiu a enfermeira Ana Carolina Mariano, coordenadora da Vigilância Epidemiológica do município.

A confirmação da variante foi anunciada numa reunião entre representantes do setor de Saúde na Regional de Assis, integrada por 25 municípios da região.

O tema era a cobertura vacinal da segunda dose, já que muitas cidades estão reclamando da baixa adesão da população. “Foi aí que surgiu o alerta, sobre o isolamento da variante Delta no município de Ibirarema”, disse Ana Carolina.

O “isolamento” é praticamente um sequenciamento genético do vírus, obtido por testes aleatórios de amostragens. Isto também é feito em Santa Cruz do Rio Pardo, mas ainda não há casos confirmados da variante.

“Porém, possivelmente este vírus já esteja circulando entre nós”, alertou a enfermeira.

A descoberta da variante chega num momento em que a pandemia dá sinais de arrefecimento em toda a região. Em Ourinhos, por exemplo, o prefeito Lucas Pocay (PSD) anunciou o fechamento do Hospital de Campanha, instalado no prédio alugado de um hotel desde o início da pandemia.

Em Santa Cruz do Rio Pardo, o número de pacientes caiu drasticamente com o crescimento da vacinação, bem como as mortes, estacionadas há dias em 175. Na sexta-feira, 6, a Santa Casa de Misericórdia, que já chegou a atender quase 60 pessoas internadas, tinha 11 pacientes, sendo cinco na UTI.

No mesmo dia, a prefeitura informou que houve cinco casos de exames positivos e 29 negativos. Outros 69 aguardam resultados.

Pela primeira vez em quase dois anos, a população pode literalmente respirar mais aliviada. No entanto, os profissionais da Saúde alertam que este quadro pode piorar novamente com a variante Delta.

“Tudo pode mudar em questão de horas”, advertiu o prefeito Diego Singolani (PSD), que anunciou a presença da variante num vídeo gravado na sexta-feira, 6, e disponibilizado nas redes sociais.

Segundo a enfermeira Ana Carolina Mariano, a Delta preocupa porque, embora seja menos letal, é muito mais contagiosa.

Assim, num universo maior de contaminados, a letalidade passa a ser um fator muito mais preocupante. Ela explicou que geralmente, quando uma variante é isolada, isto significa que este vírus já está circulando há dias ou semanas.

“Isto só não acontece quando o paciente vem de fora ou está em viagem. Porém, não temos esta informação sobre o caso em Ibirarema”, disse.

Como exemplo, ela contou que a variante P-1, descoberta em Santa Cruz do Rio Pardo em março, através do óbito de uma paciente, os técnicos avaliaram o histórico da mulher. “Como ela não viajou, deduzimos que a variante já estava no município desde janeiro”, explicou.

Ana Carolina disse que a chegada da variante na região pode complicar a pandemia neste momento em que ela se mostra mais fraca. Carolina afirmou que a única arma da população é a vacina, que tem obtido um índice mais baixo de adesão em sua segunda dose.

“Todas as vacinas são eficazes contra as variantes. No entanto, se a população não continuar seguindo as recomendações sanitárias e se vacinando, os casos realmente podem voltar a crescer. Seria uma nova onda com previsões pessimistas”, afirmou.

Segundo especialistas, o índice de transmissão da variante Delta é equiparada à Varicela, conhecida como “catapora” e geralmente benigna, controlada no mundo através de vacinação.




267 visualizações0 comentário