Buscar
  • J. POVO- MARÍLIA

Após 40 anos de fabricação, Volkswagen Gol vai sair de linha


Após 40 anos de fabricação, um dos modelos mais populares da Volkswagen, o Gol, lançado em 1980, vai sair de linha em 2022. O veterano será substituído pelo VW Polo Track, que se tornará o novo carro de entrada da Volkswagen a partir de 2023.

No entanto, o presidente e CEO da Volkswagen América Latina, Pablo Di Si, afirmou que o Gol continuará sendo oferecido no mercado brasileiro em 2022. Desse modo, o hatch deve sair de linha só no final do ano que vem. Mas uma das versões do modelo pode ter seu fim ainda em 2021. Isso porque no início do ano que vem entra em vigor a nova norma de emissões do Programa de Controle da Poluição do Ar por Veículos Automotores L7 (Proconve L7), que exige uma redução nas emissões de poluentes dos veículos nacionais. Para cumprir as exigências, algumas montadoras terão de atualizar o conjunto mecânico de seus modelos. Porém, as mudanças podem não ser vantajosas para certos carros com plataformas mais antigas, como o Gol. Segundo a fabricante, "o Gol continua sendo produzido e comercializado normalmente no Brasil". Entretanto, com as novas regras do Proconve L7, o motor 1.6 de 104 cv com câmbio manual (R$ 75.250) não deverá estar no mercado em 2022. O modelo continuará sendo produzido apenas nas versões 1.0 manual e 1.6 automática, hoje disponíveis por R$ 67.790 e R$ 83.390, respectivamente. O motor 1.6 manual equipa, além do Gol, a Saveiro e o Voyage (picape e sedã derivados do hatch). Ambos os modelos também devem perder tal configuração. Atualmente o Gol tem três versões; a top ultrapassa R$ 80 mil. Por que a Volkswagen deu mais um ano de vida para o Gol? Fabricado no Brasil desde 1980, o Gol é considerado um dos maiores sucessos da Volkswagen. É também o carro mais exportado da história do país e foi líder de vendas por quase 30 anos. Em outubro, foi o décimo veículo mais emplacado por aqui, com 5.039 unidades. A boa receptividade do público e os números de vendas consistentes podem ser alguns dos motivos por trás da decisão da fabricante de dar mais um ano de vida ao hatch e seus derivados.




52 visualizações0 comentário