Buscar
  • J. POVO- MARÍLIA

"Boneco" é condenado a quase 19 anos pelo assassinato de "Porquinho", na Zona Sul de Marília


O Tribunal do Júri do Fórum de Marília decidiu pela condenação do padeiro Rafael Augusto Luciano Santana, o “Boneco”. A pena, determinada pelo juiz Luis Augusto de Franca Júnior, foi de 18 anos e 9 meses de reclusão em regime fechado.

O réu foi acusado pelo assassinato de Thiago Rodrigues dos Santos, de 29 anos, o “Porquinho”, em crime ocorrido em agosto de 2015, no conjunto de apartamentos do CDHU, na Zona Sul.

O julgamento teve início na manhã desta quinta-feira (26) e terminou por volta das 20h.

Outro acusado de envolvimento no crime, Max Diniz Lourenço foi absolvido e teve alvará de soltura expedido pela Justiça. Um terceiro homem jugado pelo mesmo caso, Roberto Aldeghi, teve a pena de favorecimento ao crime prescrita.

O promotor Rafael Abujamra pleiteou aos jurados a condenação de “Boneco” pelo crime de homicídio duplamente qualificado (motivo torpe e recurso que dificultou a defesa da vítima).

O advogado de defesa do réu, Rubens Neres Santana, pediu a absolvição alegando legítima defesa e também que em caso de condenação que fossem retiradas as agravantes do delito. DISCUSSÃO E TIROS O crime aconteceu no início da tarde de 13 agosto de 2015, no conjunto de apartamentos do CDHU, na Zona Sul de Marília. “Porquinho” e “Boneco” teriam tido uma discussão e minutos depois, o acusado voltou ao local armado e efetuou um disparo a queima roupa no tórax. A vítima não resistiu e morreu antes do socorro médico. Após o crime, o acusado fugiu com um mototaxista em direção a propriedades rurais na Zona Sul.

"Boneco" foi deixado próximo a porteira de uma fazenda e fugiu a pé. Cão farejador foi utilizado nas buscas, mas ele foi preso no início da noite, em um dos apartamentos do CDHU.



108 visualizações0 comentário