Buscar
  • J. POVO- MARÍLIA

Brasil tem mais de 65 milhões de endividados, no 2° mês consecutivo. Procon de Marília orienta


O número se aproxima do patamar atingido no pico da pandemia. Já o valor total é o maior do período: R$ 265 bilhões

A pressão da alta dos preços sobre o orçamento das famílias provocou novo aumento do número de endividados. Pelo segundo mês consecutivo, a inadimplência cresceu e superou a marca de 65 milhões no Brasil. Segundo levantamento da Serasa, em março, 65,6 milhões de pessoas não conseguiram pagar as contas em dia, índice 0,81% superior em relação ao registrado em fevereiro.

A última vez que os números passaram dessa marca havia sido no auge da pandemia de Covid-19, em abril de 2020.

Reajuste anual frustra expectativa de redução da conta de luz

O montante da dívida também é o maior registrado desde o pico da pandemia, superando R$ 265 bilhões. O valor médio, que subiu 3,2% em relação a março de 2020, é de R$ 4.046,31 por pessoa endividada, cerca de quatro vezes mais que o salário mínimo vigente.

O perfil da dívida, porém, é variado. A falta de pagamento de juros a bancos e cartões de crédito lidera, com 28,3%, seguido pelas contas básicas, como luz, água e gás, com 23,2%. O varejo ainda responde por 12,5% do total.

O perfil das pessoas com nome sujo também varia. Entre os inadimplentes, o maior número é na faixa etária dos 26 aos 40 anos (35,2%), seguido pela faixa de 41 a 60 anos (34,9%). Os homens respondem por 49,8%, e as mulheres, por 50,2%.

Confira sete dicas para deixar as contas em ordem

1) Organize as contas Organize as finanças para visualizar o valor das suas despesas, pelo menos, pelos próximos três meses, incluindo todas as dívidas já existentes.

2) Calcule sua reserva De acordo com o que você tem de reserva financeira disponível e com as previsões de entradas no caixa, saberá quanto de dinheiro pode destinar ao pagamento das despesas já existentes.

3) Procure os credores Procure todos os credores e proponha uma renegociação de acordo com a possibilidade de pagamento mensal. Se for necessário, proponha aumento no prazo e diminuição no valor mensal das parcelas.

4) Priorize pagamentos Priorize o pagamento das dívidas relacionadas a serviços essenciais ou daquelas que tenham uma taxa de juros mais alta (como cartão de crédito e cheque especial). Essas devem ser liquidadas primeiro.

5) Entenda os contratos Reveja os contratos assinados com seus credores: em muitos casos já existem cláusulas que preveem medidas especiais em casos extraordinários como desemprego. Se o documento contemplar algo nesse sentido, você poderá utilizar essa cláusula para recorrer ao credor.

6) Avalie seus gastos Reveja seus gastos e seu custo de vida. Isso pode ajudar a evitar que se contraiam novas dívidas.

7) Corte despesas supérfluas Identifique as despesas que podem ser cortadas nesse período para que você tenha mais recursos para liquidá-las.

PROCON MARÍLIA CRIA PROGRAMA DE ORIENTAÇÃO A SUPERENDIVIDADOS

Guilherme Moraes, diretor do Procon em Marília


O Procon de Marília participa do Programa de Apoio ao Superendividado, que dá ao consumidor a possibilidade de negociar dívidas em audiências coletivas de conciliação. Em alguns casos é possível conseguir descontos de até 90%.

É possível fazer o cadastro online ou, no caso de pessoas que não tenham acesso à internet, diretamente no serviço de defesa do consumidor de Marília, localizado na Avenida das Indústrias, número 294, no Centro. O diretor do Procon Marília, Guilherme Moraes, explica que “a ideia não é incentivar a inadimplência e sim reinserir os consumidores superendividados no mercado”. A proposta é também evitar o congestionamento de processos no Judiciário através de acordos extrajudiciais com homologação. No programa as dívidas passam por revisões de valores, inclusive com a retirada de encargos moratórios que alongam os débitos. Assim, espera-se que os devedores consigam um equilíbrio financeiro para cumprir suas obrigações. Pode participar quem possui dívidas vencidas ou a vencer, independente do valor total, decorrentes de empréstimos, financiamentos, contratos de crédito ao consumo. Estão de fora os casos de créditos consignados dentro da margem legal, dívidas contraídas por atividades profissionais, indenizações, pensão alimentícia, dívidas fiscais (impostos, multas, taxas), dívidas habitacionais (subsidiados ou não) e dívidas que já são cobradas na Justiça. São solicitados documentos como RG, CPF, comprovante de residência, comprovantes de renda e demonstrativos das dívidas. PROJETO Uma pesquisa realizada pela Proteste indica que 23% dos brasileiros estão "muito endividados", atingindo um patamar 5% maior do que a análise feita no mesmo período em 2021. O superendividamento se tornou um problema grave no Brasil, tendo em vista que se expandiu para contas de consumo básicas, como energia, telefone, luz, água e internet. O Programa de Apoio ao Superendividado - PAS é um trabalho conjunto do Núcleo de Tratamento do Superendividamento da Fundação Procon-SP e do Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania (Cejusc) do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJ-SP).



33 visualizações0 comentário