top of page
Buscar
  • Por Adilson de Lucca

Camelôs querem encontro com o prefeito Daniel Alonso, que antecipa: "problema da Rumo"


Vereador Marcos Rezende se reuniu com representantes dos camelôs, ontem

Representantes dos camelôs instalados às margens da via férrea, no centro de Marília e ameaçados de desocupação pela Rumo Logística (concessionária da área onde estão alocados em boxes) prepararam um café da tarde para vereadores na tarde desta sexta-feira (26) na antiga estação ferroviária de Marília. Objetivo era discutir o assunto e formar uma "ponte" com a Prefeitura.

Mas, somente o vereador Marcos Rezende (PSD) compareceu no encontro, que reuniu cerca de cinquenta camelôs. Rezende integra uma comissão formada na Câmara para tratar do assunto, junto com os vereadores Júnior Moraes e Marcos Custódio. Esses dois últimos enviaram assessores para representá-los no encontro de ontem.

O bacharel em direito, com formação em curso de Mediador de Conflitos Judicial e Extrajudicial, Rafa Amadeu, participou do encontro como assistente dos camelôs.

O líder dos camelôs, Ademar Aparecido de Jesus, o Dema, expôs ao vereador o drama vivido por eles diante da iminente desocupação obrigatória do terreno. Isso pode acontecer, de fato, após audiência agendada para a próxima quinta-feira (1°) na Justiça Federal, em Marília.

Após cerca de uma hora de discussões, os representantes chegaram à seguinte conclusão: a desocupação da área é liquida e certa pela Rumo. Então, não compensaria ficar batendo nessa tecla.

Diante disso, o caminho seria convencer o prefeito Daniel Alonso a ceder parte da área que não será ocupada pelo parque linear (paisagismo e ciclovia) que consta em projeto da Prefeitura às margens da ferrovia, para manutenção de boxes dos camelôs.

Nesse sentido, propõem que a ciclovia (cujo traçado pelo projeto se estende dos Distrito de Lácio ao Distrito de Padre Nóbrega), seria interrompida ao chegar na Rua 9 de Julho e retomaria o traçado a partir da Rua Paraná, ficando o trecho da antiga estação como uma área de lazer integrada ao ciclismo.

Marcos Rezende ficou encarregado de agendar um encontro entre o prefeito Daniel Alonso com representantes dos camelôs para tratar da questão.

Assessores dos vereadores Júnior Moraes e Marcos Custódio estiveram no encontro

Dema agradeceu a presença do vereador Marcos Rezende no encontro

"PROBLEMA DA RUMO"

Perguntado pelo JORNAL DO POVO sobre o imbróglio dos camelôs da via férrea, no final da tarde desta sexta-feira em seu gabinete, o prefeito foi taxativo: "o camelódromo que a Prefeitura cuida é o do Terminal Urbano. O outro é problema da Rumo".

Um assessor do prefeito arrematou: "não queiram trazer esse problema aqui para dentro".

Na ação judicial que a Rumo Logística impetrou na Justiça Federal, requerendo a desocupação da área ocupada pelos camelôs, a Prefeitura figura como terceira interessada.

Na audiência judicial da semana passada, o secretário municipal de Planejamento Urbano, José Antonio de Almeida, foi enfático ao defender a desocupação da área para implantação do parque linear pela Prefeitura. A Rumo já concedeu autorização para a Prefeitura nesse sentido.

Prefeito Daniel Alonso com o secretário de Planejamento Urbano, José Antonio de Almeida

O PROJETO DO PARQUE LINEAR COM PISTA DE CICLISMO ÀS MARGENS DA FERROVIA ENTRE OS DISTRITOS DE LÁCIO E PADRE NÓBREGA








317 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page