top of page
Buscar
  • J. POVO- MARÍLIA

"CANAVIAL, OS VIVOS E OS MORTOS": Romance que conquistou o 1º lugar em concurso será lançado sábado


Escrito por Ramon Barbosa Franco, livro tem ilustrações de Aloísio Dias da Silva, prefácio de Nelson Liano Júnior e posfácio do ‘Repórter do Século’, José Hamilton Ribeiro

O romance ‘Canavial, os vivos e os mortos’, do escritor Ramon Barbosa Franco, será lançado em 17 de dezembro no anfiteatro da Universidade de Marília (Unimar), às 19h30. O evento contará com apresentação musical do Grupo Mucunã, interpretações do ator e diretor Fernando Delábio e exposição com 13 telas do artista plástico Aloísio Dias da Silva produzidas especialmente para ilustrar a trama, que se passa no Interior de São Paulo.

O livro, que conquistou o primeiro lugar no Edital de Fomento n.º 2/2021, da Secretaria Municipal de Cultura e Prefeitura Municipal de Marília, será o título inaugural da La Musetta Editoriais, editora mariliense da executiva das artes Caká de Cerqueira César.

Com entrada franca, o lançamento contará com uma série de atrações para o público, que conhecerá partes do enredo que enfoca a trajetória dos cortadores de cana, chamados de boias-frias, de Paraguaçu Paulista, localizado a 80 quilômetros de Marília e cidade-natal do escritor.

“O autor de ‘Canavial, os vivos e os mortos’ é um cronista do Oeste Paulista que se inspirou em gente desconhecida para desvendar almas que habitam o mundo de todos nós. Párias cortadores de cana, conhecidos como boias-frias, que fizeram a riqueza de uma região, mas que ficaram só com as sobras e o amargor de existências condenadas pela miséria social.

Todos esses elementos vivificam essa ficção realista de agradável leitura que levará os seus leitores a muitas reflexões”, escreveu na apresentação da obra literária o jornalista e escritor mariliense Nelson Liano Júnior, que na década de 1980 editou as edições iniciais de ‘O alquimista’ e ‘O diário de um mago’, do autor Paulo Coelho.

O enredo

“Venho contar sobre um tempo que não existe mais. Ele se acabou, assim como findaram as pessoas que nele viveram, choraram, sofreram, se amaram. Se a esperança rareia pelo agora, imagine, então, por aqueles anos”, assim começa o romance que o escritor Ramon Barbosa Franco vem trabalhando desde o ano de 2007, quando teve a inspiração da trama após concluir a leitura do romance ‘Os abismos de Caraguatá’, obra do seu amigo escritor paraguaçuense Adauto Elias Moreira, ex-presidente da Câmara Municipal de Paraguaçu Paulista.

A trama traz a trajetória do personagem João Cândido, que iniciou no corte de cana ainda na adolescência, dias depois de perder a mãe num grave acidente.

O original de ‘Canavial’ concorreu ao Edital de Fomento n.º 2/2021 com curadoria da La Musetta e de Caká de Cerqueira César, que elaborou o projeto em todas as suas etapas. Através da La Musetta, Caká realizou a direção artística da obra e edição, além de financiar a produção de mais telas para que o romance pudesse ter todos os capítulos ilustrados, e não somente a capa como havia sido apresentado na proposta inicial. A editora também desenvolveu toda a curadoria literária e artística do romance e das ações culturais a partir da obra, como mostras e shows.

O escritor Ramon Barbosa Franco é representado artisticamente pela La Musetta, tendo na editora Caká de Cerqueira César sua exclusiva agente literária. “Quando o escritor Ramon Barbosa Franco me apresentou o original de ‘Canavial’, alguns anos atrás, identifiquei de imediato que o projeto poderia ganhar dimensão maior e, desde então, trabalhei a concepção deste acontecimento cultural de grande fôlego”, afirmou.

Opinião do ‘Repórter do Século’

“O corta-cana, sendo um herói do país, no entanto, é um rosto

que passa e ninguém olha, outros até o diminuem e desqualificam

por seu jeito humilde, sua roupa puída, seu olhar condescendente

e do bem. Agora, um autor com pena limpa e firme está olhando para o

corta-cana com talento para fazer dele o personagem que ele merece. Este é Ramon e seu livro ‘Canavial, os vivos e os mortos’. Gostei demais do tema, do cenário, do livro, do autor. Estamos diante de um grande escritor, com assunto, enredo, e conhecimento próprios de alguém com algo importante a dizer e comunicar.

O assunto é bom. E o autor sabe escrever”, afirmou o jornalista e escritor José Hamilton Ribeiro ao ler e preparar o livro ‘Canavial…’. O ‘Repórter do Século’, Ribeiro, é uma referência no Jornalismo brasileiro e por décadas trabalhou no programa Globo Rural, na rede Globo. Conquistou vários Prêmios Esso e o reconhecimento internacional ‘Maria Moors Cabot’ pelo seu exercício profissional. O jornalista premiado, além de assinar o posfácio, também preparou e revisou o livro ‘Canavial, os vivos e os mortos’. A editoração ficou por conta de Carlos Jorge Gomes e revisão-final Érico Jorge Gomes.

A capa ilustrada por Aloísio Dias da Silva foi inspirada numa concepção da editora Caká de Cerqueira César. “O romance de Ramon Barbosa Franco é emocionante, nos transporta para dentro de uma realidade que muitos não têm noção de como é. A cada página, me via totalmente envolvida com aquelas personagens marcantes. As ilustrações do seu Aloísio contribuem para que o leitor realmente mergulhe na história e vivencie tudo aquilo” disse a editora Caká de Cerqueira César, publisher da La Musetta Arte ao Mundo.

O lançamento

O lançamento de ‘Canavial, os vivos e os mortos’ acontecerá no próximo dia 17 de dezembro, um sábado, a partir das 19h30, no anfiteatro da Universidade de Marília (avenida Hygino Muzzi Filho, nº 1001) e entrada franca. Com direção artística e concepção de Caká de Cerqueira César, o evento contará com apresentação do grupo Mucunã e interpretações do ator e diretor Fernando Delábio, além de exposição do artista plástico Aloísio Dias da Silva. “Estaremos prestando homenagens póstumas à cantora Marilene Galvão, da dupla As Galvão, e ao grande ícone da Música Caipira, Rolando Boldrin, ambos falecidos em 2022”, informou Caká. Autoridades, como os prefeitos de Marília, Daniel Alonso, e de Paraguaçu Paulista, Antian Sasada, deverão comparecer.

Mucunã, que tem uma história com a Música Caipira e álbum gravado com o cantor Pena Branca, interpretará músicas que dialogam com a obra ‘Canavial’. São composições de Rolando Boldrin, Catulo da Paixão Cearense, Adauto Santos e José Fortuna, entre outros. A música autoral de Silvio Valenciano, ‘Coisa linda’, também integrará o repertório do grupo, que é formado pelos seguintes músicos: Francine Jorente (vocal), Júnior Goes (vocal e violão), Isaac Pereira (violino) e Augusto Botelho (percussão). O cerimonial será conduzido pelo ator, coreógrafo e arte-educador Fernando Delabio, que fará leituras interpretativas e dará vida a um dos personagens da trama de ‘Canavial’, o místico e emblemático São Francisco do Mato.

Serviço

Lançamento ‘Canavial, os vivos e os mortos’, com show do Grupo Mucunã e exposição de Aloísio Dias da Silva

Musical em memória de Marilene Galvão e Rolando Boldrin

Interpretações: Fernando Delábio

Sábado, 17 de dezembro de 2022

Às 19h30

Anfiteatro da Universidade de Marília (Unimar)

Avenida Hygino Muzzy Filho, n.º 1001

Entrada franca

Livro

‘Canavial, os vivos e os mortos’, de Ramon Barbosa Franco

Ilustrações de Aloísio Dias da Silva

La Musetta Editoriais

Romance brasileiro - Regionalismo cultural

88 páginas




37 visualizações0 comentário
bottom of page