Buscar
  • J. POVO- MARÍLIA

COVID-19: Resta só mais um leito para explodir o caos com lotação total nas UTIs em Marília


Dos 56 leitos de UTIs do SUS destinados a pacientes graves com Covid-19 em hospitais em Marília, 55 estão ocupados. Ou seja, mais uma pessoa internada neste setor e o colapso na saúde pública vira realidade. Lotação nas portas dos hospítais já é uma realidade também aqui na cidade.

Os casos positivos de coronavírus se aproximam de 9 mil e os suspeitos passam de 2.600, conforme Boletim desta segunda-feira. Mortes são 107, com mais dois óbitos suspeitos,

A Secretaria Municipal da Saúde informou na noite desta segunda-feira (4), que a taxa de ocupação de leitos de UTI COVID atingiu 98,21%, sendo a mais alta desde o início da Pandemia. Isso pode estar refletindo o comportamento de aglomeração da população nas comemorações de final de ano.

Mesmo com a alta taxa, nossos prestadores e profissionais estão envidando esforços para oferecer o melhor cuidado à população. Porém, alertamos que os serviços de atenção primária e os hospitais estão com uma superlotação, causando um tempo de espera grande nas portas dos serviços. Solicitamos a colaboração da população nas medidas de proteção e, especialmente, na compreensão desta espera nos serviços de saúde.

A secretaria já antecipou ações e a deixou de sobreaviso empresa privada contratada há dois anos para alguel de ambulâncias para transporte de pacientes para outros municípios.

O secretário municipal da Saúde, Cássio Luiz Pinto Júnior, infomrou em Nota que "felizmente isto não ocorreu, mediante aos vários esforços e atuação clínica dos três Hospitais envolvidos (HC, Santa Casa e ABHU). Porém, vale a pena lembrar que ainda corremos o risco de ocupação total nos próximos dias, caso a população não adote as medidas de prevenção".

Ressaltou ainda que "parece ser redundante, mas é extremamente necessária a continuidade do uso de máscaras, higienização das mãos e, especialmente, evitar as aglomerações para não propagar o vírus e a doença".

REMANEJAMENTO ATÉ PARA ANDRADINA

O remanejamento de pacientes de Marília com Covid-19 que necessitarem de UTIs para outras cidades, depende de autorização da Central de Regulação de Oferta de Serviços de Saúde (CROSS), órgão vinculado à Secretaria de Saúde do Governo do Estado, que monitora as vagas no sistema público.

O secretário Cássio Luiz disse ao JP que estes remanejamentos podem ser feitos para as duas microregioes que podem receber pacientes de Marília e que fazem parte da DRS-9 (Tupã e Adamantina).

Lotações em UTIs com pacientes da Covid-19 pelo país jé é realidade em Marília



463 visualizações0 comentário