Buscar
  • Por Adilson de Lucca

CRIME DO SACO: irmãs assassinas do aposentado dormem na CPJ e pedem marmita vegana


As irmãs Wânia Santos Silveira, de 52 anos, e Andréa Santos Silveira de Sousa, 49, autoras da tortura e macabro assassinato contra o aposentado Donizete Rosa, de 60 anos, presas na manhã desta quinta-feira (10), passaram a noite na cela da CPJ (Plantão Policial) e na janta pediram marmita vegana (sem carnes).

No final da tarde de ontem, a Justiça, atendendo pedido do delegado titular da Delegacia de Investigações Gerais (DIG), dr. Luiz Marcelo Perpétuo Sampaio, decretou a prisão temporária da dupla, após os depoimentos delas, que duraram cerca de quatro horas.

BRIGAS E ORDEM DE DESPEJO

As irmãs macabras chegaram em Marília por volta de 2017. Vieram de Minas Gerais. Moravam com o aposentado no apartamento 206 do Condomínio Center Franco, localizado na Rua 4 de Abril esquina com a Rua 9 de Julho, no centro de Marília.

Inicialmente comercial, o Condomínio passou a misto (residencial). Atualmente, cerca de 80% dos apartamentos estão vazios. Ocupantes do imóvel relataram aos investigadores momentos de discussões entre as assassinas e o aposentado.

As irmãs alugaram por R$ 750 mensais o apartamento em junho de 2017. Mas estavam devendo alugueis desde 2019 e no último dia 18 de outubro a Justiça expediu um mandado de despejo. A dívida era é cerca de R$ 26 mil.

Policiais da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) encontraram no apartamento, que foi limpo após o crime mas havia marcas de sangue pelo local, um extrato de empréstimo consignado de R$ 25 mil em nome da vítima, feito há alguns meses em uma instituição financeira. A polícia vai apurar quem fez os saques na conta do aposentado.

No apartamento foram localizadas roupas novas das irmãs. Não havia guarda-roupas. O idoso não tinha quase nada. Apenas umas roupas velhas e um notebook dele. Ele costumava dormir em um sofá velho encostado em um hall do prédio.

A família dele é de Gália e até ontem ainda não havia procurado pelo mesmo. O crime foi cometido, segundo os peritos, há pelo menos uma semana e o corpo embalado com sacos de lixo e fita crepe estava no apartamento. Donizete tinha as pernas amarradas e sinais de tortura.

O corpo dele foi arrastado pela irmãs no início da madrugada de quarta-feira (9) e abandonado a cerca de 20 metros do condomínio, em frente o portão do Bradesco, na Rua 4 de Abril. Elas chegaram a tentar colocar a corpo embalado no porta-malas de um carro (possivelmente de aplicativo), mas o motorista recursou o transporte. A Policia ainda não identificou o motorista, portanto, não se tem o diálogo entre eles e as assassinas e se ele soube ou não que se tratava de um cadáver embalado.

O aposentado Donizete Rosa, de 60 anos, foi a vítima do macabro crime




203 visualizações0 comentário