Buscar
  • J. POVO- MARÍLIA

Crime no motel foi passional e coronel segue preso


O crime no motel em Marília foi realmente passional. O delegado Seccional de Polícia de Marília, dr. Wilson Carlos Frazão, confirmou em entrevista coletiva na manhã desta quinta-feira (4), que o coronel reformado da PM, Daubhian Braga Barbosa, de 57 anos, matou o ex-detento e funcionário do Motel Fênix, Daniel Ricardo da Silva, de 37 anos, porque ele tinha um caso com sua esposa, a cabo da Polícia Militar., Adriana Silva. Daubhian é dono do motel.

Conforme o delegado, o coronel aposentado executou Silva com três tiros, de revólver 38, sendo que dois projéteis atingiram as costas e as nádegas da vítima e outro pegou de raspão.

No depoimento à DIG, ontem, o coronel (que estava foragido desde domingo) declarou que teve uma discussão com Daniel no final da madrugada de domingo (3) e que o mesmo ameaçou sacar uma arma. Então ele atirou por legítima defesa.

Imagens de câmeras de segurança do estabelecimento foram recolhidas pela Polícia Civil. "Vamos montar um quebra-cabeças para verificar a veracidade dessas alegações", disse Frazão. Também serão apurada mudanças na cena do crime, já que o assassinato ocorreu as 6h e a Polícia Militar só foi acionada duas horas depois. Todo o trabalho rápido e eficiente de investigação, foi coordenado pelo delegado titular da DIG, dr. Luiz Fernando Perpétuo Sampaio.

Sobre as armas encontradas durantes buscas na casa do acusado (espingardas, fuzil calibre 762 de uso das Forças Armadas, silenciadores e 450 quilos de munições de diversos calibres), o delegado Seccional disse que o coronel era colecionador de armas e possui vários registros.





501 visualizações0 comentário