Buscar
  • J. POVO- MARÍLIA

Denúncia no MPE aponta irregularidades em contas eleitorais e pode complicar o vereador Élio Ajeka

Atualizado: 15 de mai. de 2021


O Ministério Público Eleitoral (MPE), recebeu denúncia de prestador de serviços contra o vereador Élio Ajeka (PP). Conforme o Protocolo 038.1274.0000001/2021, direcionado ao promotor eleitoral José Alfredo Santana, o denunciante, A.C.A, alega que "durante as eleições municipais de 2020, para o cargo de vereador deste município, realizei a prestação de serviços de fotografia ao candidato e agora eleito Elio Eiji Ajeka. No entanto, o mesmo não realizou o pagamento dos meus serviços e também não incluiu na prestação de contas. Não recebendo, fiz a emissão de boleto bancário e envio por AR, no intuito de receber o que de direito. Possuo todos os áudios e imagens entre o denunciante e o candidato quanto o trabalho nas eleições, dos serviços executados, mas ignorado após eleito, omitindo tal gastos na prestação de contas, dispondo de todos os meios de prova e pessoalmente para esclarecimentos”.

No mesmo documento, o denunciante aponta que "a prestação de contas é um dever de todos os candidatos, uma medida que garante a transparência e a legitimidade da atuação partidária no processo eleitoral. As despesas devem ser declaradas na prestação de contas. O vereador Elio Eiji Ajeka não prestou conta destas despesas de R$ 6,3 mil, omitindo-a”.

Eleito no ano passado com 2.359 votos, Ajeka declarou à Justiça Eleitoral que recebeu R$ 13.345 para a campanha e apontou despesas de R$ 12.025. O relatório não faz menção a serviços fotográficos.

O JP tentou contato com o vereador Ajeka, mas a informação foi que ele estava em atendimento clínico e retornaria a ligação. O espaço está aberto para manifestações.



357 visualizações0 comentário