Buscar
  • J. POVO- MARÍLIA

DENÚNCIAS: Câmara vota hoje pedido de cassação do mandato do vereador Féfin


A Câmara de Marília vota na sessão desta segunda-feira (28), pedido de instauração de Comissão Processante e cassação do mandato do vereador Júnior Féfin (PSL).

O pedido foi protocolado por grupo de secretários municipais na última quinta-feira (24), no Legislativo. Na sessão da semana passada, vereadores rejeitaram pedidos idênticos formalados por Féfin contra o prefeito Daniel Alonso (PSDB),

QUEBRA DE DECORO

Os motivos apontados no documento que será votado hoje são quebra de decoro parlamentar. "O representado não tem não vem tendo a condução de sua vida e postura compatível com o decoro parlamentar...sendo motivo de chacotas com suas petições esdrúxulas em denúncias fantasiosas e caluniosas , expondo o Legislativo ao ridículo, inclusive com recente pedido de C.P contra o Executivo sem qualquer "pé e nem cabeça", confuso e com alucinações".

O documento é assinado pelos secretários Alysson Alex de Souza e Silva (Assessor Especial de Governo), Levi Gomes (Fazenda), Cássio Luiz Pinto Júnior (Saúde), Marcelo de Macedo (Assuntos Estratégicos), Vanderlei Dolce (Meio Ambiente) e Luiz Antonio de Almeida (Planejamento Urbano).

O mesmo grupo de secretários esteve ontem (23) na Delegacia Seccional de Polícia de Marília e protocolou documento pedindo a instauração de inquérito policial contra Féfin por denunciações caluniosas formuladas no pedido de C.P rejeitado pela Câmara na segunda-feira (21).

Citando "teoria da conspiração", o documento protocolado hoje na Câmara cita ainda que o vereador "tem aguçado a empatia dos infames que diuturnamente enchem as redes sociais de ataques descabidos...onde esse representado recolhe junto ao esgoto das redes sociais (a mesma que ele aguçou a encher) as informações e ataques sem qualquer lastro".

O documento cobra providências da Câmara para que o vereador "não se ache dono da cidade e do Legislativo", citando que as ações dele causam prejuízos ao desenvolvimento de Marília e afugenta investidores. Menciona ainda que "o vereador é conhecido no meio policial não por ser policial federal, mas por possuir histórico de ameaças e violência contra a mulher". Foram anexadas cópias de inquérito policial e ações judiciais que tramitaram na cidade de Garça.

O grupo de secretários, além da instauração de Comissão Procedimento contra Féfin, pede o afastamento cautelar dele da Câmara "diante da gravidade dos fatos narrados".

O documento protocolado hoje deve ser lido e votado na sessão ordinária da Câmara na próxima segunda-feira (28).

No ano passado, o Legislativo rejeitou pedido de abertura de Comissão Processante contra Féfin, sob acusação de agressões físicas e verbais contra profissionais do Pronto Atendimento da Zona Sul.




66 visualizações0 comentário