top of page
Buscar
  • Foto do escritor J. POVO- MARÍLIA

DESCASO NA SAÚDE: Menina de 10 anos morreu após torcer o pé e fraturar a bacia em escola, na região


Valentina Rafaella Bernardes Sena, de 10 anos, morreu após torcer o pé e fraturar a bacia, em Dracena. A Polícia Civil suspeita de que ela tenha sofrido uma embolia pulmonar após ter sido atendida duas vezes no Pronto Atendimento Municipal (PAM) e retornar para casa. A Prefeitura abriu uma sindicância para apurar o caso.

Conforme o delegado que registrou o caso, Victor Biroli, a menina se desequilibrou e torceu o pé na Escola Municipal de Ensino Municipal e Infantil (Emefi) Professora Luiza Rossa Ribeiro, na quinta-feira (5).

Os pais a levaram para o PAM, onde foi realizado um exame de raios-x, que não constatou fratura. Após o atendimento, ela foi liberada. No sábado (7), a criança continuou reclamando de dores e foi levada novamente ao Pronto Atendimento. No local, foi feito um novo exame que constatou uma fratura na bacia. Segundo a Polícia Civil, como não demandava uma emergência, na visão da equipe médica, foi agendado um atendimento com um ortopedista nesta segunda-feira (9). Em contrapartida, Valentina reclamou aos pais de que continuava com dores neste domingo (8) e foi levada novamente ao PAM já arroxeada durante a manhã. Conforme a polícia, ela foi socorrida ainda com vida na unidade de saúde, mas logo depois faleceu. “Ao que tudo indica, pode ter sido uma embolia pulmonar, quando um coágulo de sangue sobe da lesão que teve e vai para o coração, em uma artéria”, explicou o delegado Victor Biroli. Foi solicitado um exame necroscópico ao Instituto Médico Legal (IML), que pediu exames complementares patológicos para concluir o laudo sobre a causa da morte. O Boletim de Ocorrência foi registrado como morte suspeita e um inquérito policial foi instaurado para esclarecer o caso. Ainda de acordo com a Polícia Civil, deve ser investigado se houve ou não omissão de socorro médico durante os atendimentos realizados no Pronto Atendimento Municipal. O corpo de Valentina foi sepultado no Cemitério Municipal, em Dracena, na tarde desta segunda-feira (9). “Você não pode chegar num PAM e ser atendido de qualquer maneira e voltar pra casa. Alguém tem que responder. Eu queria pedir para as autoridades competentes. Gente, pelo amor de Deus, resolva esses problemas. Dracena não é uma corrutela, não. Dracena é uma cidade já polo de região. É necessário que alguém tenha responsabilidade e assuma esses casos. Esses casos são casos extremos”, disse, emocionado, o tio de Valentina, Domingos Borges Ribeiro. A Prefeitura pontuou que ainda não há conclusões sobre a causa da morte, mas a secretária de Saúde, Cláudia Luginick, junto à equipe da administração municipal, trabalha, através de uma junta médica, com "transparência e agilidade", para esclarecer o que pode ter ocorrido. "Neste momento de dor, nos solidarizamos com os familiares e amigos e expressamos as mais sinceras condolências pela perda", destacou o Poder Executivo em nota oficial.



228 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page