Buscar
  • J. POVO- MARÍLIA

Direção do H.C apura denúncias de fura fila na vacinação da Coronavac. MP pede explicações em SP


Vacinação da Coronavac foi iniciada na terça-feira (19) no H.C com a presença do governador João Doria


A direção do Hospital das Clínicas de Marília informou em Nota que vai apurar as denúncias de fura fila no cronograma de vacinação da Coronavac, iniciado esta semana nos funcionários da instituição que atuam na linha de frente no combate à pandemia da Covid-19.

"O HCFAMEMA informa que está seguindo o Plano de Imunização COVID-19 HCFAMEMA, conforme disposto no Programa Estadual de Imunização e no Plano Nacional de Imunização e que o seu não cumprimento será apurado e realizado todas as medidas cabíveis.

Reiteramos que todos os profissionais e inclusive estudantes serão vacinados, de acordo com a disponibilidade da vacina, e obedecendo nosso Plano de Imunização.”

Nesta quinta-feira (21), a superintende do Complexo H.C/Famema, Paloma Nunes, já havia se manifestado sobre o assunto em comunicado interno. “Agradecemos a compreensão de todos e lamentamos o transtorno ocorrido, causado pelo não cumprimento do cronograma por nossos funcionários. Salientamos que já estão sendo realizadas as medidas administrativas necessárias”

As denúncias apontam que o H.C/Famema estaria beneficiando alguns alunos do curso de Medicina e Enfermagem da Famema que atuam no Hospital das Clínicas. Eles foram vacinados na frente de médicos, que fizeram as reclamações.

MINISTÉRIO PÚBLICO QUESTIONA SECRETARIA SOBRE FURA FILA EM SP

A promotora Dora Martin Strilicherk fez questionamentos sobre as denúncias

O Ministério Público Estadual enviou ofício à Secretaria de Estado da Saúde cobrando informações sobre denúncias de fura fila no Hospital das Clínicas da USP, em São Paulo.

A promotora Dora Martin Strilicherk, faz três requerimentos à pasta do governo de João Doria, que deverá responder aos questionamentos em até cinco dias:

- justificar o ocorrido no local, comprovando que as pessoas vacinadas e as próximas estejam de fato na linha de frente do combate ao vírus;

- explicitar as medidas que adotará para que os critérios não sejam burlados em próximas distribuição do imunizante no HC e demais hospitais paulistas e que medidas adotará diante do caso relatado pelos denunciantes;

- esclarecer, diante do cenário de doses disponíveis: que critérios foram usados na distribuição das doses entre municípios e serviços de saúde paulistas; quais grupos, dentro daqueles que fazem parte do grupo de risco, serão priorizados diante da escassez de doses e de que forma as unidades de saúde e a população estão sendo informados acerca desse novo panorama; como a Secretária está controlando a observância desses critérios e evitando a adoção de critérios que permitam arbitrariedades por parte dos aplicadores das vacinas.






275 visualizações0 comentário