Buscar
  • Com G1

Motorista que causou acidente com morte em racha é liberado após pagar fiança de quase R$ 8 mil

Atualizado: Mai 4


Após pagar fiança de R$ 7,7 mil, o motorista que causou acidente e a morte da psicóloga Maria Flávia Camoleze, de 26 anos, foi colocado em liberdade. O rapaz, um dentista de 24 anos, havia sido preso logo após o acidente, na madrugada de sábado (1°), no centro de Assis (70 quilômetros de Marília),

De acordo com a Polícia Civil, Maria Flávia Camoleze estava no banco de passageiros do veículo que bateu em um prédio comercial por volta das 2h30, na Travessa Sorocabana. A Polícia Civil investiga se o motorista, um dentista estava participando de um racha. Ele apresentava sinais de embriaguez. Além do pagamento da fiança, o motorista também teve que entregar a carteira nacional de habilitação e não pode sair da cidade sem autorização do juiz responsável pelo caso. Uma amiga de Maria Flávia disse em entrevista ao G1 que o rapaz que dirigia o carro - e foi preso por embriaguez ao volante - não era amigo da vítima.

De acordo com a Polícia Civil, Maria Flávia Camoleze estava no banco de passageiros do veículo que bateu em um prédio comercial por volta das 2h30, na Travessa Sorocabana. Nas imagens, é possível ver que dois carros brancos trafegavam em alta velocidade na avenida. O veículo onde Maria Flávia estava ultrapassa o outro automóvel pela direita, mas não consegue fazer a curva e bate em uma viga do estabelecimento comercial.

Thaís Cristina Zanirato contou que no dia do acidente a psicóloga tinha ido a um bar com os amigos. Como a jovem que divide apartamento com ela foi embora mais cedo, Maria Flávia decidiu ir para casa de carona com um conhecido. "O que eu sei é isso, que ela pegou uma carona, mas não era um amigo dela. Ele não fazia parte do nosso círculo de amizades", diz. A jovem de 26 anos estava no banco de passageiros do veículo que, em alta velocidade, bateu em um prédio comercial por volta das 2h30 na Travessa Sorocabana. Câmeras de segurança flagraram a colisão e a Polícia Civil investiga se o motorista, um dentista de 24 anos, disputava racha na avenida. No vídeo de uma câmera de segurança é possível ouvir sons de carros acelerando, frenagem e derrapagem (som de "pneu cantando") antes da batida, o que pode indicar que os motoristas participavam de um racha. Segundos antes da batida o carro onde a psicóloga estava ultrapassa um outro veículo pela direita em alta velocidade. O carro bate com violência no prédio comercial, e em seguida o outro carro sai do local em alta velocidade. "Serão apuradas todas as demais circunstâncias do ocorrido para confirmar ou não essas informações de que teria ocorrido racha na avenida", afirma o delegado. “Ela jamais entraria nesse carro sabendo que era para tirar racha. Eu consigo imaginar o desespero dela dentro desse carro”, diz a amiga. Thaís era amiga de Maria Flávia, que morreu no acidente em Assis — Foto: Arquivo pessoal Thaís afirma que que não reconheceu de quem seria o outro carro que aparece no vídeo. Para ela, a amiga não pegaria carona com o dentista se soubesse da imprudência. "Pelo que eu conheço da Maria, ela jamais compactuaria com isso. Ela era muito inocente no quesito amizades, ela fazia amizade muito fácil, criava confiança muito fácil, mas não acredito que ela tenha compactuado com a situação", conta Thaís. De acordo com o delegado seccional de Assis, Ricardo Fracasso, os policiais estão analisando as imagens e vão ouvir testemunhas para apurar as causas da batida. A Polícia Civil tem até 30 dias para concluir o inquérito.


457 visualizações0 comentário