top of page
Buscar
  • Foto do escritor J. POVO- MARÍLIA

Eletricista que sofreu descarga elétrica em poste e ficou em coma conclui reabilitação. "Sou um milagre"



O eletricista Rodrigo Moraes da Silva, de 41 anos, que ficou com as costas em chamas após sofrer uma descarga elétrica enquanto fazia uma manutenção na rede de internet de um poste finalizou a reabilitação física após quase dois anos de tratamento. O caso ocorreu no dia 7 de dezembro de 2022, em Bauru.

À época, moradores que passavam pelo local gravaram o acidente que causou queimaduras de terceiro grau em Rodrigo e o fez ficar 98 dias internado no hospital, onde passou por coma induzido, intubações, cirurgias, enxertos de pele em 33% de partes do corpo, como nas costas, cabeça, orelha e braços.

Ele recebeu alta do Centro Especializado em Reabilitação (CER) III, da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE), onde dois meses depois da alta hospitalar, deu início ao tratamento de reabilitação por meio do Sistema Único de Saúde (SUS). Após ter sofrido uma descarga de 13 mil volts, para ele a recuperação é um ato de Deus.

“Uma pessoa que sobrevive a choque desses, pega fogo nas costas inteiras, é porque Deus tem um propósito muito grande na minha vida. Sou um milagre", pontua.

O eletricista contou que ao começar os atendimentos na APAE tinha complicações respiratórias e ainda tinha dificuldade em movimentar partes do corpo: “Quando cheguei lá, meu braço não movimentava, hoje já está muito melhor”, relata “Todo dia que tinha atendimento, a equipe aferia a pressão e a saturação, no começo e fim de cada sessão, pois eu estava com falta de ar. Em duas situações, tive que ser levado de SAMU ao pronto atendimento”, complementa.

O fisioterapeuta Pedro Vieira, da APAE e responsável pelo caso, explicou que o foco inicial no tratamento era reabilitar as funções do sistema cardiorrespiratório e as sequelas motoras adquiridas após o longo período de internação e alta proporção de queimaduras no corpo do paciente.

“Realizamos intervenções para melhoria da mobilidade, amplitude de movimentos, força muscular, para que ele alcançasse a independência nas atividades do cotidiano. Assim, iniciamos com o Rodrigo, o treino aeróbico controlado, como parte final do processo de alta”, explica o fisioterapeuta.

Ainda de acordo com o fisioterapeuta, inicialmente Rodrigo passou por avaliação multidisciplinar, por orientação, acolhimento e, só então, foi encaminhado para as sessões de fisioterapia. Com a estabilidade respiratória, foi possível evoluir os objetivos da terapia e dar ênfase à reabilitação do quadro motor.

"Hoje, Rodrigo se encontra estável sem alterações significativas e atingiu os objetivos propostos no plano terapêutico. Encontra-se independente nas atividades de vida diária e cotidianas. Hoje podemos dizer que ele está reabilitado", comenta o fisioterapeuta.

RECOMEÇO

Rodrigo Moraes completa 42 anos no próximo dia 22 de julho, e a data significa um recomeço para ele após ter "nascido de novo".

“Sou muito grato a Deus e a todos que fizeram orações por mim, aos médicos e a equipe dos fisioterapeutas da APAE, por poder comemorar mais um ano de vida e, agora, com a alta da reabilitação física. O momento é de alegria ao lado da família e da minha esposa que esteve comigo em todos os momentos. Nasci de novo”, pontua.

Segundo Rodrigo, ele segue em acompanhamento no hospital com médicos pneumologistas na ala de queimados. Os próximos passos envolvem duas cirurgias para reconstrução da orelha esquerda e do braço esquerdo. Após o procedimento, ele confirma que retornará às fisioterapias para garantir a evolução.

Apesar do desejo de voltar a trabalhar, Rodrigo garantiu que não vai voltar à profissão de eletricista, porém, ainda não sabe o que pretende fazer profissionalmente, já que está afastado devido ao processo de recuperação.



143 visualizações0 comentário

Comentarios


bottom of page