Buscar
  • J. POVO- MARÍLIA

Em protesto contra racismo, imagem de Monteiro Lobato é pichada em cidade da região


Em manifestação de ódio e extremismo, um grafite em homenagem ao escritor Monteiro Lobato foi pichado no prédio da Biblioteca Municipal "Jurema Citeli", em Adamantina (141 quilômetros de Marília).

"As devidas providências estão sendo tomadas juntamente com a Polícia Civil para a identificação dos autores", citou Nota da secretaria municipal da Cultura daquela cidade.

"TREPOU, QUE NEM UMA MACACA DE CARVÃO" O racismo na obra infantil de Monteiro Lobato chegou até o Supremo Tribunal Federal (STF). A história começou em 2010, quando o Conselho Nacional de Educação (CNE) determinou que o livro Caçadas de Pedrinho não fosse mais disponibilizado às escolas do sistema público, por conta do conteúdo racista. "Tia Nastácia, esquecida dos seus numerosos reumatismos, trepou, que nem uma macaca de carvão" e "Não vai escapar ninguém — nem Tia Nastácia, que tem carne preta" foram trechos utilizados para justificar a medida.

Diante de recurso do Ministério da Educação, o caso chegou ao STF e só foi encerrado em 22 de maio de 2020, mas sem julgar o mérito.

"O STF entendeu que não lhe cabia analisar o assunto, pois o que se estava impugnando era o ato de homologação, pelo Ministro da Educação, desses pareceres. Mas o STF não tem competência originária para julgar mandados de segurança contra atos de ministros de Estado", explica o jurista Carlos Ari Sundfeld.



137 visualizações0 comentário