Buscar
  • Por Adilson de Lucca

Empresas de ônibus ignoram ordem de serviço da Emdurb para cumprir o contrato e atender os Distritos


As empresas de ônibus Grande Marília e Sorriso de Marília insistem em não cumprir o contrato de concessão, assinado em 2011 (prefeito Mário Bulgareli) e vigorando desde de 2013 (prefeito Vinícius Camarinha). O contrato se encerra em março de 2026, mas poderá ser prorrogado por mais 15 anos.

A cláusula que as empresas não cumprem é o primeiro ítem do contrato, onde consta que elas deverão atender todos os Distritos de Marília com linhas e horários regulares de transporte coletivo, inclusive com possibilidade de uso de vans ou micro-ônibus.

DESCASO

O descaso das empresas concessionárias está expresso na resposta à uma ordem de serviço encaminhada à elas pela Emdurb (encarregada de fiscalizar os sistema) há cerca de um mês. Responderam que simplesmente não têm condições de executar os serviços nos Distritos, sem mencionar a exigência contratual. A ordem de serviço foi encaminhada à Grande Marília e à Sorriso através da AMTU (Associação que reúne o fajuto monopólio das duas empresas).

Com a resposta evaziva das empresas, a Emdurb encaminhou o caso para a Procuradoria Jurídica do Municipio, no sentido de ajuizar ação para exigir que as empresas cumpram o contrato de concessão. Com pedido de liminar e eventual aplicação de multa diária pelo descumprimento contratual.

Apenas os Distritos de Lácio e Padre Nóbrega são atendidos pelas duas empresas. Dirceu (praticamente dentro de Marília) é um relaxo e Rosália (30,7 quilômetros), Avencas (22 quilômetros) e Amadeu Amaral (26 quilômetros) nunca foram atendidos pelas concessionárias.

CÂMARA

O vereador Evando Galete (PSDB) "comprou a briga" para que as empresas de ônibus urbanos cumpram o contrato e atendam todos os Distritos. "Uma questão de isonomia e justiça, já que os moradores dos Distritos também pagam seus impostos e necessitam do transporte coletivo. Além disso, é uma questão de contrato, que dever ser cumprido", afirmou ao JORNAL DO POVO.

Sobre o fato das empresas alegarem "sem condições" para operar nos Distritos mais distantes, ele foi enfático: "Quem come o filé tem que roer o osso".

Ontem (24), a empresa interestadual Princesa deixou de atender os Distritos de Rosália e Avencas. Para não deixar os moradores dessas localidades sem o transporte, Galete pagou do bolso um ônibus da Empresa Santo Antonio para fazer o itinerário Avencas/Marília (as 6h e retorno as 18h).

O vereador Rogerinho (PP), providenciou um ônibus com um amigo dono de empresa, para atender os moradores do Distrito de Rosália, nos mesmos horários.

Vereador Rogerinho acompanhou moradores do Distrito de Rosália em ônibus conseguido por ele, no início da manhã desta quarta-feira






74 visualizações0 comentário