Buscar
  • J. POVO- MARÍLIA

Entidades e secretaria se únem para desenvolver projetos socioambientais em Marília


Através da Gestão Participativa, mais um grande projeto surge na cidade, visando urbanizar áreas ociosas

O Grêmio Recreativo Escola de Samba Corinthians do Sapo, o Projeto EcoEstação e a Secretaria do Meio Ambiente e de Limpeza Pública (SMALP) uniram-se para promover ações que beneficiarão famílias carentes e o meio ambiente em Marília. Através da Gestão Participativa, mais um grande projeto surge na cidade, visando urbanizar áreas ociosas, conforme realizado recentemente nos viadutos da antiga rodoviária, na Via Expressa do Pombo. Em parceria com a Prefeitura, através da SMALP, a Escola de Samba Corinthians do Sapo e os integrantes do Projeto EcoEstação uniram-se para promover ações que trarão benefícios a famílias carentes e refletirão em impactos positivos ao meio ambiente. O presidente do G.R.E.S. Corinthians do Sapo, Nelson Coelho de Andrade, destaca a importância dessa parceria. “Temos acompanhado a luta da população neste momento difícil pelo qual passamos e decidimos colaborar de alguma forma para amenizar as dificuldades dos mais carentes. O Dema sempre nos foi um ponto de referência nas questões sociais e esta parceria certamente trará bons frutos. Nossa escola de samba sempre recebeu muitos aplausos da população mariliense e acreditamos que podemos retribuir um pouco deste carinho com ações que beneficiarão nossa cidade”, disse Nelson Andrade. O Presidente do Projeto EcoEstação, Ademar Aparecido de Jesus (Dema), explica os objetivos da parceria. “Iniciamos um diálogo que envolveu a Escola de Samba Corinthians do Sapo, nosso Projeto EcoEstação e a Prefeitura de Marília, representada pela Secretaria do Meio Ambiente, através dos Gestores Ambientais do município. Focamos nos trabalhos socioambientais, iniciando pela urbanização de áreas públicas na região do Cascata, onde atravessa o córrego do Palmital, o qual pretendemos limpar e desenvolver paisagismos com árvores e flores, além de cuidarmos das nascentes existentes. Ainda, faremos uma horta que favorecerá famílias carentes. Nossa parceria pretende também desenvolver, por meio do processo da reciclagem, terapia e ações motivacionais para auxiliar na autoestima, autoafirmação, no resgate, inclusão familiar e social, em um médio espaço de tempo. Neste segmento, conforme conquistarmos apoios para avançarmos, pretendemos agregar a entrega de cestas básicas e promover cursos profissionalizantes, como corte e costura, cabeleireiro, manicure, pinturas, bordados, e outras profissões que conseguirmos voluntários para nos ajudar a promover a inclusão socioeconômico de famílias carentes junto ao mercado de trabalho.” O projeto socioambiental será coordenado pelo Gestor Ambiental e Chefe da Divisão do Meio Ambiente, Cassiano Rodrigues Leite, em conjunto com os interlocutores do Programa Município Verde Azul Marília, Leandro Silva Rodrigues e Simone Brichi Parolim Macanhan. As duas primeiras áreas selecionadas para intervenções fazem frente para a rua Pernambuco, na baixado do Largo do Sapo, bairro Cascata, e conta com apoio de um empresário e um condomínio residencial estabelecidos nas proximidades. Informações, sugestões ou colaborações poderão ser feitas através do telefone 3408-6700.




43 visualizações0 comentário