Buscar
  • J. POVO- MARÍLIA

EXPANSÃO: Grupo Hadassa se prepara para abrir banco digital de investimentos em peixes


Sai a garoupa e entra a tilápia: Grupo Hadassa traz investimentos fortes e seguros no mercado

O Grupo Hadassa (holding de 17 empresas sediada em Marília), está implantando um novo segmento, desta vez no mercado de ativos financeiros. O banco, denominado Assertiva, terá como foco o capital de produção de peixes, principalmente tilápias, com tecnologia de Israel.

Lucratividade com geração de alimentos saudáveis. Este é o princípio de um investimento arrojado, rentável e seguro que leva a assinatura do empresário Jean Patrick Garcia, o Garcia do Povo, CEO da Hadassa Viagens e de outras empresas e companhias sólidas no Brasil e em outros países, incluindo Europa e Oriente Médio.

Jean Garcia com o primeiro ministro de Israel, Benjamin Netanyahu

“Não é somente uma nova forma de rentabilidade e ganhos, mas uma estratégia para auxiliarmos na segurança alimentar mundial”, assegurou o CEO que encontra-se em sua 50ª viagem para Israel e os locais sagrados para o cristianismo, judaísmo e islamismo. Assertiva, a nova empresa do grupo Hadassa trata-se de um banco, cujo capital é a produção de peixes.

O grupo Hadassa consegue extrai produtos-base na matriz tilápia, contemplando as áreas de alimentação, saúde (gordura saudável ômega 3), graxa, pasta óssea e derivados. Isso significa que ao investir na criação e produção de peixes em grande escala para atendimento do mercado mundial, o correntista obterá ganhos reais e superiores aos fundos convencionais, como a caderneta de poupança.

“Contamos com aportes de investidores internacionais e nossa holding opera nos principais mercados do mundo, incluindo Europa, Oriente Médio e Estados Unidos”, afirmou o CEO do Grupo Hadassa. O banco está sendo constituído na forma digital e correntistas não só do Brasil, mas de Israel, Dubai, Egito, Estados Unidos e Inglaterra estão se cadastrando.

“A nossa produtividade e seriedade permitem inovar e crescer, e, ao mesmo tempo assegurar para correntistas do Brasil e do mundo formas inteligentes de capitalização e de cooperação com a segurança alimentar mundial”, concluiu Garcia do Povo.




142 visualizações0 comentário